quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Abrigo São Vicente de Paulo de Garanhuns

Tudo começou quando um pequeno grupo tendo à frente Dom José Adelino Dantas, 5º bispo de Garanhuns, fez reuniões e procurou despertar a comunidade para um trabalho de promoção humana com  velhinhos mendigos da cidade. Para que essa ideia se realizasse viram a necessidade de construir um abrigo, que foi idealizado e construído (com grande sacrifício) e inaugurado no dia 30 de abril de 1967, por Dom José Adelino Dantas e  entregue à direção as "Filhas de Caridade".

Na verdade, Dom Adelino Dantas foi o restaurador do Abrigo de  São Vicente de Paulo como instituição. Construiu o prédio atual. Modernizou a sua estrutura organizacional, dotando-a de instrumentação mais adequada à concretização de suas finalidades: a proteção da velhice desamparada. Abriu caminho para a afluência de novos recursos imprescindíveis à sua existência. Reconhecidos méritos de sua liderança e sensibilidade como Pastor, bem como da necessária ajuda da comunidade representada pelos que atenderam ao seu apelo em prol da promoção humana. 

Entretanto, a idealização, fundação e concretização do Abrigo de São Vicente de Paulo correspondem ao trabalho de liderança comunitária, de igual sensibilidade humana, de Leopoldino Cardoso da Silva, Presidente da Confraria de São Vicente de Paulo da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Arraial, o qual, fazendo igual apelo, foi correspondido pela comunidade garanhuense, especialmente pelos seus confrades vicentinos, a quem cabe iguais méritos, pois sensibilizados no sentido da proteção dos velhos desemparados. 

Com o feito, em 1939, foi denominado o abrigo de Albergue de São Vicente da Paulo e inaugurado com a Santa Missa celebrada pelo Bispo de então, Dom Mário de Miranda Villas Boas, no  mesmo local onde se erige o prédio atual, concretizando-se, desse modo, a ideia lançada pelo presidente dos  vicentinos do Arraial.

Há uma história, pouco conhecida, a respeito da ideia e da fundação do abrigo.

Meses antes da inauguração, o presidente Leopoldino convidou alguns confrades vicentinos para darem um passeio, após a missa e reunião na Matriz do Arraial, que ficava na Avenida Rui Barbosa, chegando a uma casa em demolição, onde se abrigavam da chuva que então caia. Lá estava o preto velho Damião, arrastando o seu catre, a fim  de proteger-se das águas que desciam a cântaros. Para obrigá-lo a desocupar a casa, o proprietário a demolia aos poucos.

O presidente vicentino convidou os confrades para criarem uma instituição onde os velhos abandonados pudessem encontrar o amparo para  os últimos dias de sua vida. Assim, na casa de Damião, foi fundado o Abrigo de São Vicente de Paulo.

Comerciantes e outras pessoas ajudaram com o seu apoio moral e  material para a sua edificação. O terreno foi doado pelo então Prefeito Municipal, Sr. Tomás Maia, o que se constitui como uma história à parte: o quarteirão inteiro, em  parte do qual está edificado o  atual prédio.

É preciso que a verdade histórica venha à luz, e que a obra vicentina em Garanhuns não tenha os seus nomes mais representativos, muitos e hoje perdidos na memória dos homens, relegados á esponja do tempo.

*Antônio Cardoso / Garanhuns, 1 de maio de 1982.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Datafolha aponta vitória de Lula no primeiro turno com 51% dos votos válidos

Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Ricardo Stuckert ) Brasil 247 - A pesquisa Datafolha , divulgada nesta quinta-feira (18), mostrou vitória ...