quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

A saga da família Zaidan no Brasil


Cláudio Gonçalves de Lima*

O Rio de janeiro foi à cidade escolhida no idos do século XX para a lua de mel do casal sírio-libanês Tomé Simão Zaidan e Emília Kury Zaidan. Aqueles recém-casados que comemoravam a recente união matrimonial e que começavam a escreverem as primeiras páginas de suas vidas. Desembarcaram no Brasil trazendo em suas bagagens não apenas vestuários, mas cultura, costumes, sonhos e perspectivas, que fariam mudar o roteiro daquela história ao tomarem a decisão de permanecerem nas terras brasileiras, passando a escreverem nas páginas que ainda estavam em branco, uma nova história, com tinteiros com as cores verde, amarelo, azul e branco. Tempos depois sabendo da existência de uma colônia libanesa no Maranhão o casal seguiu para aquele Estado, caminho depois seguindo pelos seus irmãos. 

A família Zaidan após alguns anos vivendo no Maranhão decidiu vir para Garanhuns. Chegando a Suíça Pernambucana, o casal Zaidan e sua prole, entre eles, Michel Zaidan, pai do Professor Doutor Michel Zaidan Filho, fixaram residência na Avenida Santo Antônio nº 190 e num curto período de tempo inauguraram na mesma avenida o estabelecimento comercial Zaidan - O Mar das Meias. Seu filho Michel Zaidan como outros irmãos, se estabeleceu em Garanhuns como comerciante, sendo proprietário da Loja A Vantajosa. Michel Zaidan casou com Elizabete Zaidan, filha de Manoel Napoleão de Santana e Aurora Gomes Santana. O casal Michel e Elizabete tiveram cinco filhos, entre eles Michel Zaidan Filho, nascido no dia 29 de julho de 1951 à Rua Dom José nº 129 às 19h15.

O futuro Doutor Michel Zaidan Filho herdou de seu pai o hábito da leitura, lendo em sua adolescência Sartre, Max e até mesmo tratados de medicina, pois era a leitura preferida do pai Michel Zaidan. Estudou nos Colégios Diocesano e Presbiteriano XV de Novembro, foi neste centenário estabelecimento de ensino que teve a oportunidade de ampliar seu universo literário principalmente no campo da Filosofia, participando de grêmios estudantis, escrevendo ou os representando. Decidido em trilhar o caminho da Filosofia, encontrou algumas resistências na família, chegando o Tio Osvaldo que era promotor a dizer: Ou vai ser boêmio, provavelmente, ou um filósofo e gênio. Eu não acredito que ele vai ser um filósofo e gênio, então vai um ser boêmio. Vai partir para boemia mesmo. Não vai dar em nada isso aí, mas Michelzinho, cognome carinhoso pelo qual era chamado pelos seus pais, encarou o desafio e seguiu para o Recife em buscar dos seus ideais e de uma visão de mundo. E assim em 1974 graduou-se em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco, em 1982 concluiu o mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo em 1986. Atualmente é professor titular do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco (professor do departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco), tendo experiência na área de História e Ciências Sociais, com ênfase em Teoria e Filosofia da História política, atuando nos seguintes temas: teoria da democracia, comunismo, política, Brasil, Democracia e Política.

Professor, Filosofo, Cientista Político e historiador, autor de 16 livros e outros publicados em parceira, sendo sua recente obra, “A Honra do Imperador: Reflexões sobre a História”. Também é marcante a sua participação no documentário de Clóvis Manfrini, Hecatombe: Horas que abalaram Garanhuns. Essas são apenas algumas das suas proezas na Educação, na literatura e na Política, sempre combativo na defesa do interesse público. Esse é o Professor Michel Zaidan Filho, polímata, que na adolescência em uma conversa com uma tia paterna disse-lhe que queria uma carreira que pudesse falar com as pessoas, e o futuro lhe reservou que a sua voz, seus pensamentos e teorias fossem ouvidas nos grêmios estudantis, nos sindicatos, nas entrevistas concedidas, conferências, palestras, obras publicadas e em diferentes nacionalidades. 

*Cláudio Gonçalves de Lima é professor, escritor e historiador. Ex-presidente do Instituto Histórico de Garanhuns e membro da Academia de Letras de Garanhuns.

Fotos: (1) - Família Zaidan (2) - Tomé Simão Zaidan e Emília Cury Zaidan (3) - Michel Zaidan Filho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Secult-PE/Fundarpe divulga resultado final das propostas classificadas do FIG 2022

A Secult-PE e a Fundarpe divulgam o resultado final das propostas classificadas na análise de mérito artístico-cultural do 30º Festival de I...