quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

Amílcar o homem público

Sua veia política vem de 1930, quando com 15 anos se alistou nas Forças Revolucionárias, não seguindo com a tropa, pois foi retirado já no trem por José Batatinha. Na queda do Estado Novo, sob a orientação de Elpídio Branco, se candidatou para Vereador, sendo reeleito por mais duas vezes. O Distrito  de São Pedro era sua base onde Dona Dora atendia a todos, sem descriminação, não temendo contaminação visitava doentes e velhos, levando leite e sopa. Era comum se dizer que os votos  eram de Dona Dora. Sem apego ao poder, entregou o comando do Distrito para Hermínio Sampaio que foi eleito com sobras de votos.

Sua ausência demorou pouco, pois convocado por um grupo de amigos, que protestavam contra as imposições dos comandos políticos locais, lançaram sua candidatura a Prefeito da Cidade. Era a candidatura de um "matuto" contra o rolo compressor do Município e do Estado. A campanha mexeu com  os brios da população que aproveitou os dizeres pejorativos para encampar a candidatura do "leiteiro". No rastro da campanha várias lideranças se projetaram: Vicente Cavalcanti, João Calado, Clovis Vidal, Urbano Vitalino, Seu Romeiro, Zezinho dos Couros, Ivan Rodrigues, José Pinto, José Guilherme, Ivo Amaral, Jaime Pinheiro, José Inácio, Levino Epaminondas, Luiz Firmino, Paulo Faustino, Antônio Edson, José Ferreira (Zi), Antônio Adeildo, Vicente Pinto, Vicente Ataíde, João Valença, Paulo Gomes, Osvaldo Ferreira, Severino Pereira Guimarães, Pedro Marques, Dona Anália e Manoel dos Santos, José Neto, Sérgio Ivo, José de Né, Sólon Gomes, Iran Pessoa, José Rodrigues, Seu Nino, Ivanildo Branco, Luiz Roldão, Mauricio Acioli, Artur Ataíde, Oscar Francisco, Galdino Nunes, Antônio Miranda, Chiquito, Chico Tenório, Pedro Vaqueiro, Sebastião Moura, Sebastião Rocha, os irmãos Vilela, a Família Vasconcelos em São Pedro, finalmente a maior liderança do Agreste Meridional que foi Osvaldo (Vavá) Morais que comandou a política do Agreste Meridional por muitos anos. Este grupo se juntou aos antigos políticos: Dede Maia, João de Assis Moreno, José Francisco, Elísio Alves Pinto, Othoniel Gueiros, Uzzae Canuto conseguindo uma vitória esmagadora, não perdendo em  uma só urna da Cidade e até nos Distritos onde as "chefias" eram radicalmente contra.

Eleito foi levado a Prefeitura, tendo na sua Vice Everardo Gueiros. Sua primeira providencia foi abrir as portas do Gabinete, atendendo a todos pessoalmente na entrada do prédio.

Retornando vitorioso para o seu segundo mandato de Prefeito sendo Ivo Amaral o seu Vice, quando completou suas obras notabilizadas pelos seus objetivos que beneficiava a população sem descriminação, atendendo tanto a Cidade quanto aos Distritos.

Quando a fundação da Codeam em 1976, foi o seu primeiro Vice-Presidente, participando da Campanha para a instalação da Universidade Federal Rural de Pernambuco em Garanhuns. Convocado para Superintendente do INPS, em Garanhuns, extinguiu todas as filas, chegando no trabalho às 5 horas da manhã e divulgando nas Rádios o número de atendimentos feito por cada Médico, que passaram a ser cobrados pela população. Ideia simples e  eficiente.

Sem estardalhaços cultivava um número incalculável de amigos sendo respeitado por todos os grandes líderes do Estado, que tinham uma parada obrigatória na Vila de São Pedro para tomar um café com Queijo de Manteiga, preparado por Dona Dora e servida numa mesa onde estavam também sentados os seus amigos: Seu Vespa, José Lins, Antônio Cambota e Vieira. Por lá passaram praticamente todos os Governadores e as principais lideranças do Estado de Pernambuco.

As homenagens foram muitas, partindo de Órgãos e Entidades, com destaque para a Medalha do Pacificador e a do Mérito do Exército, comenda restrita e poucas autoridades civis.

Para prestar uma homenagem ao seu amigo Elpídio Branco foi convocado pelo Governador Miguel Arraes, para dirigir o Centro Social que tinha o nome daquele Deputado.

Grandes obras dos Governos Federal e Estadual, tiveram sua participação: Instalação dos Batalhões da Polícia Militar e Infantaria do Exército, Barragem de Inhumas, Rodoviária, Parque de Exposição de Animais, diversas Vilas da Cohab, Parque Industrial, entre outros.

Suas principais obras, primaram por sua grandeza e ineditismo: frota de tratores e  e motoniveladora; aterros ligando os Bairros; Faculdade de Administração, o Colégio Municipal, cujas matrículas foram as maiores de todo o Estado; Renovação de toda arborização da Cidade e Distritos; Construção de um Mercado Público, o maior do Estado na época, Mercado da Farinha, Mercado das Frutas e Verduras, Centro de Abastecimento e Armazéns Geral, Retirada da Feira Livre da Avenida Santo Antônio; ônibus para condução dos Alunos, fato inédito nos Serviços Públicos. Finalmente a compra do Semanário o Monitor que pertencia a Diocese de Garanhuns.

Sua maior obra foi à conquista do respeito e amizade da população do Município.

*Pedro Jorge Silvestre Valença / Economista, escritor, cronista e agropecuarista / Garanhuns, Julho de 2005.

Fotos: (1) - Amílcar da Mota Valença (2) - Amílcar e Dona Deolinda Silvestre Valença (D. Dora).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivo Amaral - O Senhor do Festival

Ao completar 88 anos Ivo Amaral continua sendo uma das maiores referências política e cidadã do  Agreste Meridional. Sim, se Garanhuns compo...