sábado, 1 de janeiro de 2022

Cândido Trinta Contos


Dr. José Francisco de Souza*

Tipo Popular de Garanhuns - Estatura franzina, moreno claro e usava bigode. Lábios finos e boca desdentada e quando falava a saliva se concentrava em forma de espuma. Chama-se Cândido José de Araújo, Cândido de Yayá ou "Cândido Trinta Conto". Quando moço exercera a função de Oficial de Justiça e sabia de memória o teor da peça vestibular  oferecida pelo Promotor Público e todos os despachos dos juízes com que trabalhara. Não guardava respeito nem mesmo os segredos da justiça. Toda a ocorrência das audiências ele transmitia ao público começando pelos vizinhos e conhecidos. Era uma maneira toda sua de exibir os conhecimentos de seu mister. Certa vez nos dissera, menino você que gosta de livros: "olhe aqui". Era a denúncia do promotor público. Com os  autos na mão dizia: "veja a letra desse promotor não parece com a letra de menino de escola particular..." "Ou Dr. burro danado nunca vi outro igual..." E acrescentava "eu sei muito mais do que qualquer Dr. desses. 

Metido a valente  dizia já estou velho, mas o meu coração é o mesmo. "Ninguém brinque comigo não"... Olhe eu já acabei com a feira da Boa Vista. Um sujeito tentou me desmoralizar e tomei uma espingarda emprestada" botei quase uma quarta de chumbo médio e larguei nos peitos do cabra, foi sangue e chumbo espalhado no meio da feira que fazia medo". "Não há homem bom, nem mofino, todo homem com raiva é uma fera que fala. Passara algum tempo fora daqui e voltou vendendo "jaracatiá".

Logo às primeiras horas da manhã ouvia-se a sua voz: - "olha o mamão Jaracatiá... É uma beleza, é grande remédio para se tomar em jejum"... É assim que se prepara o mamão Jaracatiá: "corta-se e retalha-se bem miudinho, depois semeia-se um pouco de açúcar por cima e come-se... É um verdadeiro milagre para amarelo pançudo e bochechudo". Fica curado e bonito capaz de casar com qualquer moça doida... "Vamos olha o mamão Jaracatiá, aproveita, está se acabando só tem esse restinho". Isto mesmo já está encomendado". 

Depois apareceu vendendo bilhete de loteria da sorte grande e com a lista de bilhetes, um lápis preso atrás da orelha gritava pelas ruas: "Olhe o bilhete, olha a sorte procurando alguém, não fuja dela como um covarde. "TRINTA CONTOS, CORREM HOJE... A garotada indiscreta estimulada por certos indivíduos acanalhados, gritavam: "CÂNDIDO TRINTA CONTOS, CORRE HOJE;... Furioso e quase possesso ele respondia: Cândido trinta contos é seu pai e sua mãe seu safado mal educado; Moleque de ponta de rua; filho de mulher pública".

De manhã, bem cedinho, num dia de sol primaveril, levado pela curiosidade que as tragédias despertam no coração humano, um grupo de pessoas estava na gare da velha Estação Ferroviária, onde hoje está localizado o "Centro de Cultura de Garanhuns", um dos monumentos da administração de Luiz Souto Dourado, olhava o corpo inerte de CÂNDIDO TRINTA CONTOS, que fora de trem de carga. O vento mudou de direção e os reflexos de luz do sol nascente, começaram a cintilar no telhado do vetusto casarão, da rotunda, onde os vagões pernoitavam. A vida para Cândido sempre fora um fardo pesado, procurava conduzi-lo da maneira que lhe parecera mais suave. Contudo fora encontrado morto, entre fardos de mercadorias, num trem de carga. A sua passagem pela terra que lhe serviu de berço foi muito conturbada. Leito de um vagão de um trem de terceira. CÂNDIDO JOSÉ DE ARAÚJO - sem dúvida foi um dos vultos de Garanhuns, que merece respeito pela sua dignidade.

*Jornalista, advogado e historiador. / Garanhuns, 24 de julho de 1982.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marília é a esperança de dias melhores para os pernambucanos

Por Eudson Catão* Marília Arraes é a pessoa certa, na hora certa, para virar a página e tirar do poder um grupo que se encastelou no Governo...