domingo, 16 de janeiro de 2022

Castelinho


Prof.  Ívison dos Passos Martins*

Se não era de areia,

Porque desmoronou?

Não foram os cruzados,

Nem mesmo um soberano

de terras distantes

Que o reduziram

a um montão de escombros,

Tampouco foram as ondas do mar,

Nem o vento impetuoso

Que o levaram embora.

Infelizmente, alguém pisou no castelinho,

apagando parte de nossa história.

Só me resta, agora,

munido de meu baldezinho

carregado com a areia da memória,

misturada com as águas das lágrimas,

que por ele derramei, reconstruí-lo

em minha praia de lembranças.

*Pisaram no Castelinho em 1996.

Foto: Castelinho de Ruber van der Linden, Garanhuns, PE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adelmo Arcoverde lança o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”

O professor pernambucano Adelmo Arcoverde lança, quinta-feira (26), às 16h, o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”, ...