sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Célio Martins de Oliveira

Célio Martins - "TENHO CIÚME DE TUDO, TENHO CIÚME ATÉ DA ROUPA QUE TU VESTE". "TU ÉS A CRIATURA MAIS LINDA QUE OS MEUS OLHOS JÁ VIRAM, TU TENS A BOCA MAIS LINDA QUE MINHA BOCA BEIJOU..." Acredita-se que quase todo mundo da velha guarda lembra desses versos de Orlando Dias, que encantaram os casais românticos da década de 1960 e até perto dos anos 1970. Bons tempos das serenatas aqui, em Garanhuns, com João Rocha, José Vieira, Jurandir do Violão, Léo de Cavaquinho entre outros famosos nomes dessas madrugadas, além do nosso grande enfocado, Célio Martins, que tanto em concertos ao ar livre, quanto em assustados e em bares, encantava muita gente com sua voz.

Célio Martins   artista completo que optou por Garanhuns e não se arrependeu. Seu nome todo: Célio Martins de Oliveira. Nasceu na Rua São Domingos, bairro de São José, Garanhuns; filho de José Caetano Martins (Pedreiro) e de dona Mercedes Tenório de Oliveira (doméstica), natural de Calçado, Pernambuco. Começou  a cantar aos 10 anos. Sua vida foi sempre de ininterrupta ascensão da música. "Garanhuns, diz ele,  sempre me deu as mãos e, eu, sou muito grato por isso".

Muito amigo de Julião, ex-diretor artístico da antiga Rádio Difusora de Garanhuns, hoje militando na Rádio Gazeta de Maceió, Célio contou com o apoio dele, àquela época, conseguindo seus primeiros fãs. Com o grupo "Os Inseparáveis" foi "crooner", apresentando-se ao lado de Zizo Maia, Israel, Irenaldo e Rivaldo. Ainda com o Prof. Julião foi componente de Grupo "Nouvelle Vague".

Após sair do Grupo "Os Inseparáveis", formou o "Grupo Harmonia";  e a partir dai começou a carreira como solista. Aprendeu a tocar violão e participou várias vezes de programas de auditório, no rádio e na televisão, a exemplo de Jorge Chau, Fernando Castelão, "Clube de Tetéu" com Aldemar Paiva, também na Rádio Difusora de Garanhuns ao lado de  Lúcio Mário, João Rocha e Ricardo Trajano.

"Na verdade diz Célio - a Rádio Difusora de Garanhuns foi fundamental para mim. Lembro continua ele, certo dia de domingo à tarde, Ronaldo White, tocando no piano e eu entrei no tom errado. Foi uma coisa engraçada, eu cantava para um lado e o piano tocava para o outro, mas terminou tudo dando certo e eu sendo aplaudido".

Célio Martins tem muitas e gratas recordações. Cantou algumas vezes ao lado do saudoso Geraldo Silva. Fala de Zominho (do Embalo Z), de Valdetude do Acordeon, de Vier (Francisco Xavier), um cobra no violão. Ele fica cheio de saudade. Outro fato curioso em sua vida é que ele durante um certo tempo passou morando na Rádio Difusora de Garanhuns. E definido como cantor, na Banda Arquivo Musical, é bastante solicitado para se apresentar em shows, eventos, bailes e confraternizações.

Apesar da vida intensa, sempre em festas e eventos diversos, ele se considera sóbrio e muito ligado a Deus. 

Célio Martins acha Garanhuns um paraíso; para ele, o melhor lugar para se viver.

*Texto transcrito do Jornal O Monitor de 19 de Novembro de 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adelmo Arcoverde lança o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”

O professor pernambucano Adelmo Arcoverde lança, quinta-feira (26), às 16h, o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”, ...