quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

Colégio Municipal Padre Agobar Valença, Garanhuns - PE


A hegemonia da família Mota Valença na área educacional, no município de Garanhuns, doou à região, um dos mais importantes monumentos de educação e a maior obra do setor, construída e mantida pela Prefeitura na década de 60.

No dia 30 de novembro de 1963, quinze dias depois de ter tomado posse como prefeito de Garanhuns, Amílcar da Mota Valença, criou, através da lei nº 999, a referida escola, vindo a funcionar no ano seguinte. Daí, de 1964 a junho de 1965, outro da Mota Valença, o Mons. Adelmar, cedeu as instalações de Casa do Ex-aluno do Colégio Diocesano para que o Municipal funcionasse imediatamente.

Em outubro de 1965, mais um Mota Valença, viria completar a presença marcante da família na referida escola, cedendo seu nome para denominá-la: o padre Agobar, aprovado pela Câmara  de Vereadores.

Desta forma, os irmãos Amílcar, Adelmar e Agobar da Mota Valença, deixam, para os anais da história de Garanhuns suas presenças nos setores de educação e política, com sacrifícios de suas irmãs, não menos competentes e que marcaram a vida do município, também com dedicação total à cultura e ao setor educacional.

Seu primeiro diretor, foi o professor de história geral, escritor e ex-pracinha, Antônio Gonçalves Dias, que levou de pronto o Colégio Municipal à finalidade para a qual fora idealizado pelo seu fundador.

O primeiro aluno a ser matriculado, foi Iaponã Alves, filho de "Seu Didi" antigo gráfico do jornal O Monitor.

No 2º semestre de 65, o Colégio Municipal instalava-se em prédio próprio, à Avenida Caruaru, num projeto do arquiteto Elen Cipriano, cujo trabalho do projeto, nada custou aos cofres municipais. Estava instalado e funcionando, o "Gigante da Avenida Caruaru", com mais de 2 mil alunos matriculados.

Na primeira data cívica comemorada pelo município após a abertura do ano letivo, março de 1964, o Colégio apresentava-se na quadra coberta do Colégio Santa Sofia, ostentando bandeira, lema, hino e um orador oficial para o evento: o então, também aluno fundador, hoje,  jornalista Rocir Santiago, com 14 anos de idade.

Daí em diante, o Colégio estabeleceu-se e começou a dar respostas à comunidade para que tinha vindo. Em 4 anos de existência, já havia conseguido implantar cursos ginasial, comercial, pedagógico, científico, contabilidade, primário e admissão, em três turnos, e que nenhum colégio local havia implantado em 50 anos

Fotos: Colégio Municipal Padre Agobar Valença na década de 1980. (2) - Amílcar em sua primeira campanha eleitoral, ao lado da cantora Edna Alves. Créditos da Foto:  http://secretariadopovo.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Municípios de PE recebem R$ 87,9 milhões da cessão onerosa em 20 de maio

Municípios pernambucanos recebem recursos da cessão onerosa no valor de R$ 87,9 milhões na próxima sexta-feira, 20 de maio. Uma das conquist...