quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

Coral do Arraial


Garanhuns do escritor Luís Jardim, do instrumentista Toinho Alves, do sanfoneiro e cantor Dominguinhos. "Cidade das Flores, Cidade Jardim", como nos versos cantados por Luiz Gonzaga, Garanhuns é mesmo um lugar propício ao canto, à música, aos festivais e ao som religioso que vem  das colinas, das igrejas e das ruas. Neste contexto, não é de admirar que o município do canto gregoriano dos padres do Mosteiro de São Bento, tenha sido berço também de um coral que está em atividade há 50 anos.

A música sempre rompe barreiras e muitas vezes, vai além, serve de aliança entre povos e diferentes culturas. Alegra os corações e revigora a alma. E quando a paixão pela música encontra a espiritualidade, o resultado não pode ser  outro que não "cantar a alegria de viver". E é com este tema que o Coral do Arraial de Garanhuns chega aos 50 anos de existência, dedicados à arte da música Sacra e Popular. É uma história  de meio século, que merece ser contada para as velhas gerações.

O Coral do Arraial surgiu em 22 de março de 1970, sob a regência do padre Luiz Gonzaga Rodrigues Duarte. O grupo nasceu com o objetivo de contribuir para as Celebrações Eucarísticas da Semana Santa, a pedido do então vigário padre Anselmo Meinders, CSsR. Mas o jovem maestro Luiz Gonzaga, então seminarista, tornava-se a cada momento mais inspirado e apaixonado pela música. Criou muitos arranjos para quatro vozes (Tenor, Soprano, Contralto e Baixo) - alguns com parceiros como o professor Maurilo Matos que dedicou duas canções a Garanhuns.

Neste 50 anos de existência o coral participou de vários encontros musicais de gênero sacro e popular, gravou cinco discos de vinil e um compacto com o hino da cidade de Altinho, terra natal do Maestro. Também de Altinho herdou o gosto pelo forró pé de serra de Luiz Gonzaga (O Rei do Baião), criando arranjos para várias músicas que ainda hoje são executadas com garbosidade nas apresentações populares. No repertório erudito destacam-se músicas de Handel, Mozart e Bach. Com a transferência  do Padre Luiz Gonzaga para a Paróquia de Campina Grande - PB, o Coral ficou aos cuidados do maestro Osvaldo Rodrigues Filho, que já havia atuado como Tenor e Baixo. 

*Geraldo Mouret - Texto transcrito do Jornal Correio Sete Colinas.  Abril de 2010. 

Fotos: (1) - Coral do Arraial na década de 1970 (2) - Padre Luiz Gonzaga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Concurso Prefeitura de Paranatama – PE: 180 vagas imediatas; até R$ 8 mil

Já está em andamento o concurso da Prefeitura de Paranatama, que oferta 180 vagas imediatas, com ganhos na faixa entre um salário-mínimo e R...