sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Edjenalva Santana do Amaral - Colégio Santa Sofia do Meu Tempo

Morando com meus avós no distrito de Poço Comprido, município de Correntes, vim para Garanhuns, em fins de 1946. Somente no ano seguinte é que frequentei minha primeira escola em Garanhuns, a Gabriela Mistral à Rua Dom José, próxima à minha casa. As professoras  Helena Martoreli e Nair Siqueira, prepararam-me para o exame de admissão no final do período, fui estudar no colégio dos meus sonhos, o Santa Sofia, cursando o (ginasial), em 1948. Começavam ai, os mais importantes dias da minha vida, os quais guardo com muita saudade.

Muita ansiedade durante os primeiros dias, até a adaptação com professores, colegas novas e aquele prédio enorme, de corredores e inúmeras salas de aulas. Depois, só inquietação, visto que sempre tive muita energia para gastar.

Cheguei a vestir dois tipos de farda. A primeira, com um bolero e um laço de plástico no colarinho branco de uma blusa por dentro de uma saia pregueada azul; a segunda, saia plissada, azul, blusa engomada branca, laço de gurgurão e boina branca, além de um par de luvas branco para os dias  festivos. Os sapatos eram em verniz, pretos, com arreatas para os tornozelos...

Ah! Como eram gostosas aquelas cocadinhas que as internas guardavam no depósito do refeitório! Cocadinhas, quanta saudade!

Também eram gostosas as frutas do pomar, vigiadas pela Irmã Helena. Pena que eu só tinha acesso ao pomar, nas épocas de ensaio da banda e do Colégio para os desfiles de 7 de Setembro.

Namorar fardada? Nem pensar! Isso dava um castigo de um domingo inteiro, presa no Colégio.

Eu me lembro das matines, aos domingos no Cine Jardim, quando os internos do Colégio Diocesano iam pra lá, e me encontrava com Ivo.

Tenho saudades também, dos caldos-de-cana gratuitos do dono do Cid's Bar, junto ao Cine Jardim. Lá, era ponto de encontro das meninas com seus namorados.

E foi assim, os 7 anos que passei no Colégio Santa Sofia. 

Mais tarde casei com Ivo e tivemos oito filhos, dos quais 7 mulheres que também foram alunas do Santa Sofia. O estreitamento da amizade com professoras, colegas, foi tamanha, que a ex-madre superiora Maria Verônica, tornou-se madrinha do meu filho Ivo Júnior. E é através dela que homenageio a todos que conviveram comigo aquele período e quem estiver por lá.

Diz o antigo provérbio que "por trás de um grande homem, está sempre uma grande mulher". Considero o meu marido um grande homem em todos os aspectos. E, considero também, minha importância neste seu sucesso e do toda a minha família. É o resultado  do que aprendi nas bancas do Colégio Santa Sofia e convivendo com todas as pessoas de lá. Obrigado a minhas colegas por tudo isto!

O que mais me orgulha e jamais posso esquecer, é que fiz parte deste grupo de pessoas do Santa Sofia.

O Céu existe entre nossas 7 Colinas de Garanhuns. Entre elas, está o Santa Sofia.

*Edjenalva Santana do Amaral / Garanhuns, 19 de Setembro de 1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prêmio Lucilo Ávila Pessoa de Educação premiará experiência pedagógica criativa

Parte da programação do XVIII Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, premiação está com inscrições abertas Com o objetivo de amp...