domingo, 16 de janeiro de 2022

Elementos da vida


Dr. José Francisco de Souza*

A vitória do ser humano consiste em saber usar os elementos da vida. Eles não se definem por coerção das circunstâncias, e nem se projetam por meras conquistas dos preceitos da sociedade. Não há dúvidas que esse conjunto de relações possui normas de conduta. Muitas de suas imposições são prioritárias como ordenamento político. A sua linguagem estritamente convencional domina. Isto é muito importante. Entendemos que mais importante do que a forma, é a pureza das ideias pontilhadas de realismo.

O universo intelectual existe em relação a individualidade humana. É indiviso na unidade de ser  criativo. É um recolhimento de integração sem divisa psicológica. Completo em si mesma e não se estrutura por força exterior. Renova-se constantemente. Vive em perene mutação. A sociedade de seus componentes seria eterno suplício. A solidão criativa não é manipulada, é concentração de energias. Energias sóbrias e de vitalidades preponderantes.

O labor desse universo se opera no mais profundo silêncio. Os ruídos comuns não se objetivam, não é força capaz de alarmar. Só o silêncio impera em toda a sua plenitude, parece até que só os pensamentos tem vida. Não há aquele comodismo mental de se esperar que os outros dedicam por nós. Isso não mais existe. A exploração das negativas, não se refletiam nos elementos positivos de decisão.

Por exemplo, a cidade pode se modificar. Pode se insurgir contra a estagnação de muitos, deve mesmo protestar contra os que governam o seu destino. O que interessa propriamente ao seu espírito construtivo, é a personalidade das pessoas que nasceram e vivem respirando o ar puro de sua liberdade. Esse  comportamento constata o seu estado de progresso. Daí nasce o ponto culminante da capacidade humana. As aspirações sublimes do mundo da espiritualidade maior.

Quando o pensamento criativo está em alguma parte, a alma também ai está. Irradiante suas harmônicas vibrações emanadas de seus atributos divinos. Pois a alma na grandeza de vida é quem pensa. O pensamento é um atributo. Para os espíritos que identificam a verdade nenhuma importância dão ao que é convencional. Só as leis como relação da natureza das coisas e suas derivações, merecem ser respeitadas integralmente. Deixar de cumpri-las implica em resgate de provas de causa e efeitos.

Para eles o pensamento é tudo. Deixa-nos a forma, a escolha dos termos as classificações, numa palavra, os sistemas, ou pensamentos puros são coordenados pela evolução espiritual. Eles purificam o mundo e suas relações. O mundo ordenado pela sintonia desses pensamentos edificantes e nobres, é um mundo de beleza, em que a vida se projeta com as suas maravilhas.

Esses ensinamentos são ricos de conteúdo e forma. Os pensamentos se renovam no sentido de projetar a força de sua capacidade de tornar o mundo mais feliz.  O seu domínio não se impõe, é uma conquista de apercebimento na ação. A nova estrutura mental representa a força indomável que luta pela realidade do presente em todas as horas e momentos . Chegou o exato instante da exaustão, já não há mais  possibilidades ponderáveis entre as partes em séculos de litígios. Os elementos da vida, não se omitem. Pelo contrário se manifestam em todos os quadrantes dos mundos em formação. São determinantes modificadoras de pensamentos negativos e consolidam, entre nós, os desejos dos assistentes espirituais por um mundo melhor e mais humano.

*Advogado, jornalista, cronista e historiador / Garanhuns, 28 de Julho de 1984

"Os pensamentos se renovam no sentido de projetar a força de sua capacidade de tornar o mundo mais feliz" - José Francisco de Souza.

Créditos da foto: Anchieta Gueiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adelmo Arcoverde lança o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”

O professor pernambucano Adelmo Arcoverde lança, quinta-feira (26), às 16h, o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”, ...