quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Estação Ferroviária de Garanhuns

Estação Ferroviária de Garanhuns na década de 1940
Por Cláudio Gonçalves de Lima*

A construção da malha ferroviária em Pernambuco cuja concessão foi dada aos irmãos e empresários ingleses Edward Mornay e Alfred Mornay teve inicio em 1856, seu ponto inicial partia de Cinco Pontas no Recife com destino terminal no São Francisco. Em 09 de fevereiro de 1858 a Recife and São Francisco Railway Company realizava a viagem inaugural de Cinco Pontas ao Cabo de Santo Agostinho, e Pernambuco passava a ser a primeira do Nordeste e a segunda do Brasil a possuir uma ferrovia. 

O prolongamento da estrada de ferro Recife ao São Francisco tinha em sua planta a construção da estação de Garanhuns, as obras que partiriam de Palmares em 1862, ficaram paralisadas por alguns anos e o governo imperial foi aconselhado a não realizar o prolongamento a Garanhuns devido aos altos custos e a topografia da região. Em 1880 o governo passa a administrar a ferrovia agora denominada Estrada de Ferro Sul de Pernambuco. O prolongamento teve inicio em 1886 partindo de São Benedito. Nesse percurso são construídas em 1885 a estação de Canhotinho e 1887 as estações de Segismundo Gonçalves (Angelim) e São João. O prolongamento da linha férrea a Garanhuns foi considerada uma das aberturas mais desafiadoras pelos engenheiros envolvidos devido aos inúmeros acidentes geográficos. 

No dia 28 de setembro de 1887 acontecia a inauguração da estação de Garanhuns com a presença do Presidente da Província Pedro Vicente de Azevedo, D. José Pereira da Silva Barros, Prelado de Olinda, autoridades civis e militares. Narra os jornais da época que a passagem do trem foi festejada em todo o seu prolongamento com girandolas de fogos e no terminal a locomotiva que entrou na gare às 11 horas foi acolhida por uma salva de tiros, pelas bandas municipais de Garanhuns e Canhotinho e Guarda Nacional de Garanhuns. Após a partida do trem inaugural a festa tomou conta da estação e das ruas. 

Em 1901 as principais linhas férreas de Pernambuco são concedidas para Great Western of Brazil Railway Company, entre elas a estação Garanhuns, que é administrada pela companhia até 1950 quando a Great Western decreta falência. As estações passam a serem administradas pelo Governo Federal através da Rede Ferroviária do Nordeste antecessora da Rede Ferroviária Federal S.A.

Na década de 60 o Governo Federal inicia a erradicação das linhas férreas, um desmonte em prol das rodovias que teve como defensor o Ministro da Viação, General Juarez Távora. Nesse cenário no dia 19 de novembro de 1966 partiu o último trem de Garanhuns diante de poucas pessoas que ouviram o gremista Raimundo de Morais (Grêmio Cultural Ruber van der Linden) de cima de  tamborete improvisar um discurso lamentando a perda.

Desativada a antiga estação em suas imediações ficou sendo realizada uma feira. No governo de Luís Souto Dourado são ativados dois bondes que trafegavam da antiga estação ao 71º BI Mtz - Exército Brasileiro.

O prefeito Luiz Souto Dourado que se destacou em seu governo por grandes empreendimentos turísticos aproveita a estação para a construção do atual Centro Cultural, inaugurado em 27 de março de 1971. Em 1979 o Centro Cultural recebe a denominação de Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti. 

Em 1991, a Prefeitura Municipal de Garanhuns, em parecer dado pelo Juiz de Direito da Comarca de Garanhuns à época Dr. Gerson Venâncio de Carvalho, recebe sentença favorável de usucapião do imóvel.

A estação Garanhuns pode ser considerado o primeiro grande marco de progresso da cidade, e que orgulhava os garanhuenses por ser ponto de linha, ponto final da estação, o que nos fazia sentir que o trem era só nosso.

*Professor, escritor e historiador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book gratuito ajuda quem deseja mudar de carreira

“Transição de carreira: O que tem mais a minha cara?”, esse é o novo e-book da escritora, consultora e coach de carreira Margarete Chinaglia...