sábado, 22 de janeiro de 2022

Garanhuns dar um passo a frente no turismo


Clovis de Barros Filho | 2018

São Paulo (SP) - Garanhuns sempre foi uma cidade espetacular. Tanto pelo seu clima frio incomum na região quanto pelas suas belezas naturais, seus parques, sua arquitetura seus colégios e suas ruas sempre floridas. Destaca-se ainda em Garanhuns suas fontes de água mineral famosas no Brasil inteiro. Nota-se que em praticamente todas as administrações públicas da cidade, sempre houve um zelo no trato com a limpeza pública a manutenção dos jardins, parques públicos e os prédios municipais. No aspecto de eventos a cidade se destaca com o FIG todos os anos, onde dezenas e dezenas de eventos musicais atraem gente de todo os cantos do país. Mais, apesar de tudo que é feito, sentimos que há espaço para mais projetos que ampliem essa vocação turística. Acho que há espaço para ampliação do turismo agroecológico com exploração das próprias fontes de água mineral, do investimento em pequenas indústrias artesanais de mel, doces, queijos, cervejas e vinhos que tem tudo haver com o clima frio/ameno da cidade e a própria vocação pecuária da região. 

No passado não sei bem onde era, havia um cultivo ainda que primário de uvas de mesa se não me engano experimental sob responsabilidade da ANCARPE. Os políticos de Garanhuns precisam entender que a vocação da cidade é primordialmente turística e tudo que for feito para ampliá-lo, poderá ser revertido em ganhos econômicos que irão dinamizar a sua economia. Os secretários de Turismo e do Planejamento precisam inovar mais, visitar cidades com as características e o potencial turístico de Garanhuns e trazer  novas ideias. Nos esportes há também muita coisa que poderia ser feita. Deveria ser aproveitado  o alto comparecimento de turistas ao FIG  para por exemplo,  realizar torneios de curta duração de basquete,  voleibol, futebol ou outro esporte, convidando equipes de fora. Isso agregaria mais valor ao evento e geraria mais divisas e empregos, além de divulgar ainda mais a cidade lá fora. Poderia-se criar calçadões exclusivos para pedestres nas áreas centrais da cidade para exploração de pequenos negócios. Investir em ciclovias criando nos finais de semana passeios ciclísticos para visitação de parques e lugares turísticos. Deveria-se investir mais por exemplo na ampliação do plantio de árvores principalmente aquelas que dão um ar europeu  que são as coníferas, as araucárias elas que mesmo em pequeno número já são há muito tempo um cartão postal da cidade. Ou seja, Garanhuns precisa dar uma passo à frente. Há que se aprimorar o que já é bonito e bem feito, e fazer mais.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Oswaldo Cruz - SP.

Foto: Vista aérea do bairro de Heliópolis de Garanhuns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

107 anos de Amílcar da Mota Valença

Hoje lembramos os 107 anos de nascimento de Amílcar da Mota Valença. No meado do mês de maio de 1915, o casal Abílio Camilo Valença e ...