quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

História de Garanhuns

BLOCO ZÉ PENANTE - Aparece em 17 de janeiro de 1924, a fim de participar dos festejos de momo no mês seguinte. A diretoria era a seguinte: - Presidente Tranquilino Viana - Vice - Francisco Grossi, e J. Francisco de Melo, Secretário - Ariosto Silva, Vice - Antônio Pires Leite, Orador - Henock Nogueira, Vice - Artur Maia, Tesoureiro - Pedro Cavalcante, Vice - Manoel F. Leite, Conselho Fiscal - José Penante e Francisco Ouro Preto; Fiscal - Rubem Santos - Vice - Zacarias Rodrigues.

Comissão Feminina: Maria Pires Leite, Celina Almeida, Elvira Gonçalves, Carmen Viana, Nina Portela, Regina Teles, Hermínia Leal, Maria Augusta Arcoverde, Marieta Teles, Angelina Diletiere, Glória Silva.

Diretoria de Honra: Bernardino F. Guimarães, Assis Pessoa, João P. Braga, Dario Rego, Francisco Branco, Francisco Dantas, Manoel José de Paes, Antônio Lima Penante, Luís, Brasil, Eduardo  Silva, Antônio Henrique, Calos Arcoverde, José de Almeida Filho, Tomaz Maia, Euclides Dourado, Mário Lira. A estrofe do Bloco era a seguinte: "Vamos formando o reboliço / Todos brincar que não faz mal / Meninas sacodem guizos / Para Alegrar o carnaval / "Vitalinas" cantam assim: Mamãe, quero casar". (Fonte: Os Aldeões de Garanhuns / Alberto da Silva Rêgo / 1987).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marília é a esperança de dias melhores para os pernambucanos

Por Eudson Catão* Marília Arraes é a pessoa certa, na hora certa, para virar a página e tirar do poder um grupo que se encastelou no Governo...