quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

História de Garanhuns

SESMARIA DO MOXOTÓ - Conforme declarou o Padre Miguel Batista, então procurador da Congregação de São Felipe Neri, na escritura de venda do sítio Poço do Boi, em 15 de maio de 1759, o Governador da Capitania de Pernambuco, João da Cunha Souto Maior, concedeu, em 17 de maio de 1688, uma sesmaria a João Alves Pereira, Manoel da Cunha Moreno, Amaro Fernandes Tinoco, Manoel Gonçalves e Domingos Fernandes, que posteriormente a doaram àquela congregação.

As terras desta sesmaria doada se limitavam pelo norte e pelo oeste, pelas águas pendentes para os rios Pajeú e Moxotó; pelo leste se dividiam com as terras do Estado da Paraíba, até a atual divisão do Município de Sertânia com o de Arcoverde e até ao riacho do Mel, de onde rumava ao rio Moxotó, na confrontação da barra do riacho Cupeti, dividindo-se pelo sul com a sesmaria dos Aranhas, até encontrar as terras de outra sesmaria, e com ela se dividindo até o rio Moxotó.

A sesmaria com a qual se dividia pelo sul, e que foi doada à Congregação de São Felipe Neri, foi pelo Governador da Capitania de Pernambuco, Manoel Rolim de Moura, concedida ao comissário geral João Peixoto Vilela, Padre João Pereira Campos e Paulo Pereira Pacheco, em data que ignoramos, mas que estes sesmeiros dela foram judicialmente empossados pelo Tabelião Sebastião Neto Nogueira, em 10 de março de 1725. (Fonte: Alfredo Leite Cavalcanti (foto) - História de Garanhuns - Volume I - Outubro de 1968 / Foi mantida a grafia da época).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Concurso Câmara de Camaçari – BA com 50 vagas

O edital nº 01/2022 do aguardado concurso Câmara de Camaçari, no estado da Bahia, foi publicado e vai passar pela primeira retificação. De a...