quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

História de Garanhuns

Eduardo Gomes de Araújo - Casado com D. Maria Otaviana Gomes (D. Bia) tiveram uma família numerosa. Eram vizinhos na Rua do Recife de Sebastião Caldas. Ele comerciante no setor de vulcanização de pneus, na Rua Santo Dumont. Entre os filhos - Francelino o primogênito, colega no Diocesano e do grupo das "peladas". Os demais são - Lourdes que desposou Antônio Pádua, Pascoal casado com Maria da Conceição, Arlindo (engenheiro civil), José, Terezinha e mais meia dúzia de pimpolhos que estavam engatinhando na década de 1930.

Francelino, economista vai para o Rio de Janeiro e manda notícias. Diz que encontrou o engenheiro Elmano Amorim, gerente da Empresas de Água e Luz de Garanhuns, gozando umas férias, sem deixar o tabuleiro de xadrez que era o seu "hobby"; David, este mais carioca do que o fluminense e, no final da carta: "Pandiá está aqui há três meses com um cartão do Dr. Agamenon para o Ministro do Trabalho e ainda se colocou". Professor no Rio de Janeiro, conseguiu terminar o curso de Economia. Funcionário do IBGE.

*Alberto da Silva Rêgo / Escritor, historiador e agrônomo / 1987.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Em 1935 Lampião leva pânico aos moradores de Garanhuns

Noites de inquietação e pavor de 26 de maio  a 1º de junho, em Garanhuns, com as notícias de Lampião nas proximidades. De fato, no dia 29 de...