quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

Mamíferos Quaternários - Sítio Lagoa Cavada, Iati, Pernambuco, Brasil

Lagoa onde o geólogo Jonh Casper Branner encontrou restos de mamíferos quaternários durante sua primeira expedição ao Brasil
Sítio Lagoa Cavada, Iati - PE
Foto: Anchieta Gueiros
Mamíferos Quaternários no Sítio Lagoa CavadaO professor e pesquisador, João de Deus de Oliveira Dias em seu livro "Terra dos Garanhuns", faz um relato sobre a passagem por nossa região do geólogo americano Jonh Casper Branner durante sua primeira expedição ao Brasil no final do século XIX. Primeira expedição que levou o nome de "Branner-Agassiz Expedition" no ano de 1899.

Naquela época Iati era um distrito (01/06/1892) pertencente ao  município de Águas Belas e denominava-se de Mocambo, sendo desmembrado de Águas Belas em 26 de dezembro de 1963, tornando-se município autônomo e com instalação em  14 de agosto de 1964.

RELATOS DO PROFESSOR JOÃO DE DEUS
   
A ocorrência dos fósseis de vertebrados superiores, em Garanhuns, tem sido em pequenos caldeirões, nos lagedos, ou em terrenos sedimentares, argilosos ou limosos, de pequenas bacias (cacimbas, barreiros), do Período Pleistocênio, caracterizado pelas espécies Megatherium cuvieri Lund, Cuvieronius brasiliensis Lund, Panochthus oliveira-roxo Castellanos, Toxodon expansidens Agassiz, Mastodon humboldtii Cuvier, etc.

Durante escavações para aprofundamento da lagoa foram encontrados vários restos de mamíferos quaternários por moradores desta região. A lagoa fica no sopé da Serra do Uruçu
Sítio Lagoa Cavada, Iati - PE
Foto: Anchieta Gueiros


Os restos de mamíferos extintos, diz Luciano Jacques de Morais, têm aparecido em diversos lugares de Pernambuco e são encontrados, frequentemente, ao proceder-se a escavação de  tanques, denominação dada aos poços destinados ao armazenamento d'água. 

Material encontrado na Lagoa Cavada

Estes poços são abertos, tanto nos pontos altos como nos elevados da superfície, mas quase sempre em caldeirões ou fossas entulhadas por depósitos de aluvião. Ossos desses animais também costumam aparecer na estação seca nos fundos das lagoas e nos vales.

Jonh Casper Branner, em sua primeira expedição ao Brasil em 1899, encontrou restos de mamíferos quaternários na Lagoa da Lágea, Lageiro e Lagoa Cavada, entre Águas Belas e Garanhuns. Fonte: Terra dos Garanhuns do escritor e professor João de Deus de Oliveira Dias - 1954 - Foi mantida a grafia da época.

DR. JOHN CASPER BRANNER

Dr. Branner nasceu em New Market, Tennessee, em 1850, formou-se em Cornell em 1882 e recebeu seu Ph.D na Universidade de Indiana em 1885.

Em 1891, o Dr. Branner foi selecionado pelo presidente da Stanford, David Starr Jordan, como professor de geologia. Ele foi então conectado com a Universidade do Arkansas. Ele serviu como vice- presidente da Stanford de 1898 a 1913.

Dr. Jonh Casper Branner
Em 1913, os curadores de Stanford o homenagearam com a presidência da universidade quando o Dr. Jordan foi promovido à chancelaria. Dr. Branner se aposentou como o segundo presidente da universidade em 1915, aos 65 anos. Ele também renunciou ao cargo de chefe do departamento de geologia e mineração, cargo que ocupou por 23 anos. Ele foi sucedido pelo Dr. Bailey Willis da USGeological Survey. Após a aposentadoria, ele foi nomeado pelo Presidente Wilson em 1916 para investigar a causa de grandes deslizamentos de terra que afetaram as operações do Canal do Panamá.

O Dr. Branner era uma autoridade reconhecida na geologia das repúblicas sul-americanas, especialmente no Brasil.

Durante sua última década ele liderou várias expedições ao Brasil e contemplou outra viagem, mas foi impedido por problemas de saúde.

MAPA DE JONH CASPER BRANNER NO BRASIL


Ele analisou e tratou a geologia do litoral do Nordeste Brasileiro na Branner-Agassiz Expedition (1899) e na Stanford Expedition (1911). As expedições indicam como a geomorfologia das bacias sedimentares, dos recifes de arenito e dos recifes de corais foi caracterizada sob uma perspectiva evolutiva darwinista. Branner integrou o modelo de pesquisa de campo da história natural com as práticas da biologia moderna e da geologia dinâmica, e interpretou a evolução da formação geológica a partir dos fatores físico-químicos. Os estudos zoológicos identificaram o lugar da variação e das adaptações evolutivas das espécies marinhas isoladas como fator auxiliar da seleção natural.

PERÍODO QUATERNÁRIO

O Período Quaternário iniciou-se há 2,6 milhões de anos e compreende desde a época pleistocênica (de 2,6 milhões de anos até cerca de 10 mil anos atrás, referindo-se aos depósitos pós-pliocênicos) até a época holocênica (10 mil anos atrás até os dias atuais, incluindo fósseis de espécies existentes), estando dentro da Era Cenozóica. Compreende depósitos sedimentares juntamente com restos de animais e vegetais que vivem ainda hoje, espécies de mamíferos placentários (permitindo observar ancestrais de cavalos, e elefantes), sendo também a idade do Homem. As características mais marcantes deste período foram as glaciações e o aparecimento do homem, há apenas 1,8 milhões de anos.

VEJA NO VÍDEO ABAIXO OS ANIMAIS QUE VIVERAM NO PERÍODO QUATERNÁRIO



 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa mapeia situação de controle interno dos municípios brasileiros

A Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) lançou, nessa segunda-feira (27), o “Diagnóstico dos Controles Internos...