quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Início da Equiparação do Ginásio de Garanhuns em 1928

O ano de 1928 foi decisivo para o nosso Ginásio de Garanhuns. Em março daquele ano, tivemos exames de admissão oficiais, com fiscalização do Governo Federal, na pessoa do boníssimo e saudoso desembargador Dr. Joaquim Maurício Wanderley, ex-chefe de Polícia do Governador Dantas Barreto e pai dos nossos professores Hibernon e Carlos Wanderley. O desembargador Maurício Wanderley residia em uma casa, na Rua 15 de Novembro, muito perto do nosso Colégio e sua residência era marcada pelos jardins bem cuidados que circundavam sua casa e pelos "pastores alemães", que a guardava...

O exame de admissão, realizado em março, marcava o início da arrancada para a equiparação do nosso Ginásio. Era uma preliminar para a chamada inspeção prévia e Garanhuns ia ser a primeira cidade do interior de Pernambuco a ter um Colégio equiparado ao Pedro II do Rio de Janeiro, com laboratório, corpo docente especializado e outros melhoramentos que deveriam ser introduzidos no período de sua adaptação até o  decreto de reconhecimento.

Muitas foram as reuniões presididas pelo meu saudoso padrinho D. João Tavares Moura, 1º Bispo de Garanhuns reunindo não só as autoridades locais, mas também as representações sociais de Garanhuns, para tornar efetiva a equiparação do Ginásio. Foi realmente um trabalho comunitário e ecumênico, pois não faltou nesta hora, o apoio dos dirigentes do Colégio 15 de Novembro, mantido pela Missão Presbiteriana.

Voltando àqueles dias agitados (no bom sentido) de março de 1928, convém não esquecer o curso intensivo que realizamos no Ginásio, com  as aulas magníficas de Costa Porto, do entusiasmo de Mário Matos (foto), Hibernon Wanderley e também outros professores sob o comando executivo do então Padre José de Anchieta Callou, que chegava ao Ginásio para integrar a sua diretoria, acumulando também as funções de Vigário geral da Diocese. Não deve ser esquecido o valioso apoio do Prefeito Euclides Dourado e dos políticos da oposição, comandados por Mário Lira, eficiente Tabelião da Comarca.

Assim, se iniciava em março de 1928, uma nova era no interior de  Pernambuco. Garanhuns, Terra de Simôa Gomes, ia ter o seu Colégio oficializado. Não seria mais necessário viajar para o Recife, para prestar exames no Ginásio Pernambucano nem ir para o Liceu Alagoano, em Maceió. O Ginásio de Garanhuns, que passaria a ter o título de Ginásio Municipal de Garanhuns, abria e rasgava novos horizontes no campo das  letras e cultura para os jovens do meu tempo.

*Alfredo Vieira / Advogado, escritor e historiador / Garanhuns do Meu Tempo / 1981.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Congresso em Garanhuns debate Direito Penal e Processo Penal

Evento acontece no Hotel Sesc de Garanhuns, nos dias 17/08 e 18/08. As inscrições já estão abertas. Será realizado na próxima quarta e quint...