quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

José de Almeida Filho

Comerciante era um dos membros influentes na política local. Entre 1919-1922 ocupou o cargo de Prefeito de Garanhuns, continuando por dois mandatos como Conselheiro Municipal. Foi um prefeito de grande destaque, investindo na melhoria das estradas de rodagem ligando a cidade às sedes dos municípios circunvizinhos:  Correntes, São Bento, Bom Conselho;  criação de diversas escolas na sede e nos distritos; abertura e calçamento de ruas e avenidas; criação do Obelisco (Monumento à Independência) na Boa Vista, em razão do Centenário da Independência do Brasil.  Em 1921 comprou, com recursos pessoais, o terreno pertencente ao Dr. Maximus Nyemer, onde havia um horto de eucaliptos com 40.000 mil árvores plantadas, (atual Parque Euclides Dourado), e que havia sido o Campo de Lavoura Seca, com a compra do terreno criou o bosque de Eucaliptos, não dando prosseguimento ao seu projeto, em virtude do fim do seu mandato

O grande sonho de José de Almeida era transformar Garanhuns na “Austrália do Nordeste”. O Prefeito Luís de Barros Brasil conservou o bosque, e por fim, o Prefeito Euclides Dourado, em 1925, transforma o horto de eucaliptos em Parque Zoológico com a denominação de Parque dos Eucaliptos. Tinha como Subprefeito o Coronel José de Souza Leão Pereira Viana.

Matéria publicada no álbum do Município de Garanhuns 1922/1923. (Mantida a grafia da época).

Eucalyptos

Este genero de myrtaceas vem se aclimando em Garanhuns, pelo mesmo motivo por que aclimou-se na Europa. O nosso clima que é o europeu favorece a todas as plantas do velho mundo, ou qual lá se hajam aclimado.

No ultimo caso está o eucalypto. Genero de myrtaceas da Australia, introduzido na Europa deu excelente resultado.

Até pouco tempo não havia nenhuma plantação de eucalyptos em Garanhuns. Ha uns dois anos, porém, quando administrava o município o Cel. José de Almeida, foi iniciado pelos poderes públicos o plantio dessa myrtacea que tem progredido extraordinariamente.

No antigo Campo de Demonstração de Lavoura Seca (hoje Parque Euclides Dourado), ha um bello e vasto plantio de eucalyptos, feito pelo dr. Maximus Nyemer, auxiliado pelos poderes publicos municipaes, cujo progresso é extraordinário. Assim em diversas partes de nossa cidade ha eucalyptos.

Quem chegar a Garanhuns por estrada de ferro, avista logo, antes de divisar a cidade, o parque de eucalyptos do ex-Campo de Demonstração. Depois, ao encontrar as nossas primeiras casas, divisa, a acompanha-las, um plantio de eucalyptos, com aspecto de avenida, até penetrar o coração da cidade com sua arborisação a se formar.

Dentre as variedades dos que têm prospero em nossa terra, assinalam-se as especies: - Robusta, globus, terticoaris, citriodora e longifolia.

Os montes e taboleiros que circundam a cidade, de solo a renoso e eivado de pedregulhos, improprio a outra vegetação, foi onde attingiam os eucalyptos maior prosperidade, sendo observado um crescimento de quatro e meio metros por ano.

Nos diversos hortos de experimentação, de iniciativa particular, e nos bosques feitos pela municipalidade, se eleva a 60.000 o numero de arvores em pleno desenvolvimento. Que se não descurem os poderes muinicipaes em preparar novos hortos e bosques de eucalyptos, para que em breve sejamos também chamados - a Australia do Nordeste.

Inaugurou o serviço telefônico e canalização do primeiro trecho com água potável oriunda do Pau Pombo, beneficiando as ruas: Rosa e Silva, 15 de Novembro, Santos Dumont e outras.  Casado com Maria de Luna Almeida. O Coronel José de Almeida Filho faleceu em 19 de abril de 1939.

CASARÃO DA PRAÇA DOM MOURA, 44


Em estilo eclético, foi projetado pelo arquiteto italiano Bruno Giorgio no ano de 1919, sob encomenda do ex-prefeito Cel. José de Almeida Filho, próspero comerciante local e proprietário da Empresa de Melhoramentos de Garanhuns (EMG)

O imóvel é bastante representativo do apogeu do Ciclo do Café na região: para se ter uma ideia desse período de prosperidade, todo o madeiramento para o assoalho e lambri foi importado do Pará. 

Pouco tempo depois, foi adquirido pelo político Cel. Antônio da Silva Souto Filho, tornando-se uma espécie de "quartel general" do líder na cidade. Souto Filho passava horas no porão habitável, um espaço imenso, recebendo amigos e correligionários. Ali funcionava o seu gabinete, guarnecido com móveis de jacarandá e uma imensa mesa redonda. 

Assim, nos primeiros anos de sua História, o belo casarão da Praça Dom Moura, nº. 44, pertenceu a dois ex-Prefeitos.


Pouco tempo depois da morte de Souto Filho, em 1939, o Cel. José Custódio das Neves, cafeicultor e futuro Prefeito de Brejão, adquiriu o casarão e a família o conservou até 2004, quando a Prefeitura finalmente o comprou, na gestão do ex-Prefeito Luiz Carlos de Oliveira. (Texto sobre o Casarão de Ígor Cardoso).

Fotos: (1) - Casarão da Praça Dom Moura em 1922. (2) - Casarão na década de 1980.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Secult-PE/Fundarpe divulga resultado final das propostas classificadas do FIG 2022

A Secult-PE e a Fundarpe divulgam o resultado final das propostas classificadas na análise de mérito artístico-cultural do 30º Festival de I...