domingo, 16 de janeiro de 2022

Literatura de Cordel - Padre Gabriel Hofstede


Nelson Wanderley / 2019

Queridos paroquianos

Vou descrever em cordel

Algo do que nós sabemos

Deste que foi tão fiel

Um pouco de sua história

Do Bom Padre Gabriel


No dia nove de abril

Em trinta e três era o ano

Nasceu lá no estrangeiro

Mas Deus já tinha um plano

Mandá-lo para o Brasil

Para ser pernambucano


No dia em que nasceu

Foi pra igreja levado

Era domingo de Ramos

Neste dia celebrado

Com o nome de Adrianus

Ele já foi batizado


Aos treze anos de idade

No seminário ele entrou

Para ser Redentorista

Esta missão que abraçou

E já com seus vinte anos

Foi quando se consagrou


No ano cinquenta e cinco

Chega ao Rio de Janeiro

Foi cursar teologia

Junto do povo mineiro

E no ano cinquenta e nove

Ordenou-se em fevereiro


Como novo Sacerdote

De grande potencial

Foi estudar lá em Roma

Teologia Moral

E depois foi professor

Em Recife capital


Com ardor missionário

Foi seu foco principal

A ajudar quem precisa

Seu lema espiritual

E Dom Helder lhe tratava

Como "Meu provincial"


Atendendo a um chamado

Em Monteiro foi morar

Viveu lá por sete anos

Que lhe marcou no lugar

ele ajudou tanta gente

Que é difícil enumerar


Além da evangelização

Seu forte era caridade

Olhava gente da roça

Ajudava os da cidade

E quem queria estudar

Ele dava oportunidade


Ajudou a muita gente

E que não tinha condição

Mas precisava sair

Para uma outra região

Ele foi um pai bondoso

Na área de educação


Centenas de estudantes

Ele ajudou a formar

Consegui lá da Holanda

Sempre alguém a lhe ajudar

Fez até que holandês

Com paraibana casar


Sua vida foi em ajudar

Desde a criança ao idoso

Criou uma creche em Monteiro

Foi sempre bem corajoso

E deu casa a quem não tinha

E ao cansado o repouso


O povo jamais esquece

Por tudo que o tinha feito

Na Região de Monteiro

Conquistou muito respeito

Para ajudar o pobre

Ele sempre dava um jeito


Ele trabalhou no Recife

Campina Grande também

Nas terras onde passou

Sempre ajudou alguém

Em matéria de caridade

Gabriel foi mais além


Vindo para Garanhuns

Para cumprir seu legado

Continuou sua missão

Sendo um desapegado

E como Pai Abraão

Pelo clero era chamado


Sua vida foi marcada

Por seu jeito paternal

Que acolhe o filho pródigo

Sendo este impessoal

E lutar pelo mais fraco

Com a justiça social


Com amigos da Holanda

Construiu até capela

Bem pertinho do Castelo

E ele inaugurou ela

E com ajuda de outros

Fez reformas na favela


Na área de educação

Muita gente ele ajudou

A quem queria estudar

Muitos cursos ele pagou

E com dinheiro da Holanda

Muita gente se formou


Deu casa a quem não tinha

Ajudou quem precisava

Dividia com os demais

Tudo que ele ganhava

E era grande a soma

Dos boletos que pagava


Contas de água e de luz

Só lhe entregavam o papel

Que ele pagava sempre

Como pagador fiel

Pagava conta em farmácia

E também de aluguel


Era grande a romaria

Que a ele procurava

Lhe pedindo algum dinheiro

E ele sempre ajudava

Ou pagar alguma conta

Que ele nunca negava


E na fazenda esperança

O seu apoio ele dava

Onde com muita alegria

No domingo celebrava

Eu vou ver minhas meninas

Era assim que as tratava


Para confessar o povo

Ele jamais se cansava

E para ajudar alguém

Uma solução procurava

Ele jamais se negou

Quem sua ajuda buscava


Se ganhasse algum presente

A ele não se apegava

Se fosse roupa ou calçado

Ou coisa que ele usava

Ele com muita alegria

daria a quem precisava


Ele também foi exemplo

De devoção à Maria

De Deus Pai Nosso Senhor

Como sempre ele dizia

E com amor celebrava

A sagrada Eucaristia


Apesar de sua idade

Não demonstrava cansaço

Ao jovem que o encontrava

Sempre teve o seu abraço

E em seu coração de Pai

Todos tinham seu espaço


Ele tinha um jeito alegre

Com os vivas que anunciava

E viva a nossa Igreja

Que sorridente gritava

Era Viva Nossa Senhora

Com alegria ele dava


Nosso Padre Gabriel

Abraçava cada criança

Com seu jeito carinhoso

Lhe transmitia esperança

E o sorriso de seu rosto

Ficou em nossa lembrança


Vinte anos em Garanhuns 

Na maior simplicidade

Pois seu leme era ajudar

Sem jamais ter vaidade

As sandálias que usava

Tinham nelas santidade


Para os redentoristas

Ele foi um grande esteio

Um exemplo a ser seguido

E que mostrou pra que veio

E para nós, seus amigos

Foi um santo em nosso meio


No dia que nos deixou

No céu, festa aconteceu

Santo Afonso sorridente

Lá também o recebeu

E seu amigo Dom Helder

Um grande abraço lhe deu


Para nós fica o legado

Esse exemplo de cristão

Que fazia na caridade

Completar sua oração

Por isso deixo a você

Esta breve descrição.

Foto: Padre Gabriel Hofstede e Anchieta Gueiros - Instituto Histórico Geográfico e Cultural de Garanhuns - IHGCG  em 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivo Amaral - O Senhor do Festival

Ao completar 88 anos Ivo Amaral continua sendo uma das maiores referências política e cidadã do  Agreste Meridional. Sim, se Garanhuns compo...