segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Maria José Ferreira - 50 anos de amor ao Colégio Diocesano de Garanhuns

Carlos Janduy*

A professora Maria José Ferreira (foto), natural de Garanhuns, nasceu no Sítio Mocós, iniciou seus estudos no Distrito de São Pedro, deu continuidade aos mesmos em Maceió e concluiu o Curso Secundário, colando grau como Professora, no Colégio Santa Sofia. Também fez o  Contabilidade, no Diocesano. Cursou e concluiu o Curso de Letras na Faculdade de Formação de Professores de  Garanhuns, terminando sua formação pedagógica na  Faculdade de Filosofia de Caruaru. Buscando sempre aperfeiçoar seus conhecimentos no ramo da educação, ela participou de vários cursos em Recife. Em 1950, entrou para o quadro de funcionários do Colégio Diocesano, trabalhando na Secretaria. Em agosto do ano seguinte começou a ensinar a uma turma de internos, com sua  prima Adisa. Em 1953, foi convidada pelo Mons. Adelmar da Mota Valença, para lecionar no Curso Primário, sendo efetivada como Professora. Após ter concluído o Curso Superior, começou a dar aulas nos cursos Ginasial, Científico e de Contabilidade do Colégio Diocesano. Dedicou-se muito ao Internato, principalmente quando havia alunos doentes. Quando D. Alódia  Valença faleceu, entregou-se de corpo e alma ao refeitório. O mesmo quando aconteceu quando D. Arlinda Valença faleceu, assumindo, então, os trabalhos da Capela. Foi responsável pela Biblioteca, durante 25 anos.

Eu tive o prazer de ser aluno de Dona Maria José e considero, assim como todos seus  ex-alunos, uma das grandes professoras do nosso Estado. Nosso respeito e admiração por ela são dignos de registro. Exemplo disso é o depoimento dado por Manoel Neto Teixeira, no seu livro "O Diocesano de Garanhuns e Monsenhor Adelmar - de Corpo e Alma": "minha mestra, no 2º anos primário, é modelo de competência, dedicação e amor à causa que abraçou. É uma das remanescentes daquele grupo de mestras que marcaram época na história do ensino em Garanhuns e Pernambuco".

Ainda no livro de Manoel Neto, há um comentário do Mons.. Adelmar, em que Professora Maria José Ferreira se enquadra bem: "Feliz Colégio o nosso que pôde contar, no seu trabalho educacional, com a colaboração generosa e maternal de professores tão dedicadas como as que  temos tido. Sem elas, bem diferente teria sido o nosso progresso".

Toda a vida de Dona Maria José Ferreira foi dedicada ao Gigante da Praça da Bandeira (Praça Mons. Adelmar). A razão disso está explicada numa entrevista dada ao Jornal Diocesano Sempre, na qual ela diz  que o Colégio Diocesano é tudo para ela.

Dona Maria José encerra sua carreira de "Mestra" com 70 anos de idade e 50 anos de ensino, sentindo-se realizada por ter dado sua parcela de contribuição na vitória de tantos ex-alunos.

*Professor, poeta e escritor / Garanhuns, 24 de Fevereiro de 2001 / Jornal Correio Sete Colinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Coração de Neon" é aclamado pela crítica em Cannes como o "novo cinema popular brasileiro"

A presença do filme “Coração de Neon” em Cannes, na França, pode estar abrindo uma nova fase do cinema brasileiro. A produção curitibana aca...