quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Pernambuco: Costureiras do polo têxtil se unem por condições dignas de trabalho


Por Lucila Bezerra

Ao comprar uma roupa na loja, você se pergunta “de onde ela veio?” ou “quem fez?”. De acordo com a Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), em 2020, existiam 1,3 mi profissionais da costura no Brasil, dos quais 87% são mulheres. No Nordeste, os municípios pernambucanos de Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe sediam os principais polos de confecção, sendo responsáveis por 16% da produção nacional e empregando cerca de 11 mil pessoas, segundo dados do Governo de Pernambuco.

Apesar da relevância da região, as costureiras não sentem essa importância refletida nas condições de trabalho. “Nossa categoria já passava por muitos perrengues, mas nem as costureiras tinham noção do que passavam. Mas aí veio a pandemia e ficou muito crítica a situação e a gente entendeu que não tem como continuar dessa maneira. Temos que costurar e arranjar um tempinho para batalhar por uma melhoria no sentido coletivo da coisa, e não no individual", é o que aponta Gilmara Sousa Costa, que é costureira informal no polo de Santa Cruz do Capibaribe há cerca de 25 anos.

 Clique aqui e confira a matéria na íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prêmio Lucilo Ávila Pessoa de Educação premiará experiência pedagógica criativa

Parte da programação do XVIII Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, premiação está com inscrições abertas Com o objetivo de amp...