quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

Coletânea ganhadora do Jabuti chega em audiolivro

Olhos D’Água, de Conceição Evaristo, coletânea de contos impactantes que venceu o Prêmio Jabuti de Literatura, em 2015, e que está entre as publicações cobradas nos vestibulares chega no formato de audiolivro pela Tocalivros, em parceria com a Editora Pallas. A obra-prima de uma das mais influentes literatas do movimento pós-modernista no Brasil retrata a desigualdade social com narrativas arrebatadoras sobre a violência urbana contra mulheres negras, vítimas da miséria e da exclusão social.

Os 15 contos foram interpretados de maneira sensível pela também mulher negra e assessora pessoal da escritora, Ludmilla Lis. Assim como a versão impressa, em que a obra é definida como “escrevivência” (escrita que nasce do cotidiano), o audiolivro chega como uma espécie de “narravivência”, pois a identificação de Lis com os personagens transcende a narração. Ela trouxe para sua locução uma emoção ímpar, pois como mulher negra, convive e tem proximidade com as diversas realidades narradas pela escritora.

Essas situações, apresentadas no audiolivro, são abordadas sem meias palavras e sentimentalismos. É a realidade escancarada do que passam as mulheres periféricas, sempre com um tom poético, em contos sobre vínculos, dilemas sociais, sexuais, existenciais e fazem o ouvinte refletir sobre a vulnerabilidade da condição humana e envolver-se em sentimentos de raiva, impotência, mas também de esperança. 

Apesar de gerações diferentes, tanto a autora como a narradora, têm a superação do preconceito como ponto em comum. Conceição Evaristo nasceu em uma favela de Belo Horizonte, em 1946, é a segunda de nove irmãos e foi a primeira da família a conseguir diploma de nível superior. Ludmilla Lis é professora de Literatura e militante em movimentos sociais ligados à conquista dos diretos das mulheres negras.

Onde escutar: www.tocalivros.com

Sobre Ludmilla Lis: curadora literária, atriz, declamadora, professora de expressão corporal para crianças e adolescentes e professora de teatro iniciante, mestre em relações étnico-raciais, graduada em Letras, pesquisadora, ativista social, integra movimentos ligados à conquista de direitos das mulheres negras e LGBT.

Sobre Conceição Evaristo: nasceu em uma favela em Belo Horizonte. Conciliou os estudos com o trabalho como empregada doméstica. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde passou num concurso público para o magistério e estudou Letras. Estreou na Literatura em 1990, com obras publicadas na série Cadernos Negros. É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio e doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa mapeia situação de controle interno dos municípios brasileiros

A Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) lançou, nessa segunda-feira (27), o “Diagnóstico dos Controles Internos...