quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Falta de mão de obra faz EUA disponibilizar 20 mil vistos adicionais para trabalhos temporários

Brasileiros do país inteiro têm o sonho de morar nos Estados Unidos, e recentemente o governo americano anunciou que irá disponibilizar 20 mil vistos adicionais do tipo HB2, destinado para trabalhadores temporários. O movimento visa recuperar a mão de obra qualificada no país.

Daniel Toledo, advogado que atua na área do Direito Internacional, fundador da Toledo e Associados e sócio do LeeToledo PLLC, escritório de advocacia internacional com unidades no Brasil e nos Estados Unidos, relata que os benefícios dessa decisão são momentâneos, porém importantes. “Os vistos disponibilizados terão um limite de tempo para residência no país, não dando total acesso a imigração. As vagas de trabalho não podem afetar o mercado de trabalho americano, suprindo apenas a falta de trabalhadores em setores específicos. Isso é benéfico tanto para empresas e empregadores, quanto para quem tem qualificações e quer ter uma experiência de trabalho nos EUA”, pontua.

Vale destacar que algumas características são importantes para entender a relação do HB2 perante aos trabalhadores. “O empresário vai poder contratar mediante algumas situações.

O visto se aplica, unicamente, a vagas de trabalho disponíveis para uma ocorrência única ou sazonal, além de casos em que exista a necessidade de suporte em um momento de pico ou intermitente”, explica.

Para o advogado, o principal motivo que evidencia a necessidade de mão de obra vinda do exterior, é o fato dos americanos estarem acomodados com trabalhos informais, que não necessitam de tanto esforço. “A disponibilidade de trabalhadores no mercado americano é extremamente rasa, fazendo com que exista um déficit gigantesco. Esses americanos que não querem voltar ao mercado de trabalho, geralmente estão vendendo coisas na Amazon, trabalhando de suas casas e recebendo auxílio governamental, fazendo com que eles entrem em uma zona de conforto”, lamenta.

De acordo com Toledo, esse cenário pode ser extremamente prejudicial a longo prazo. “O mercado informal pode ser muito ruim para o país, porque a captação e o controle de impostos nesse tipo de trabalho não oferecem a mesma eficiência. Inclusive, é provável que o governo crie alguma maneira de regulamentar esse tipo de prática, fazendo, inclusive, com que ela deixe de ser tão interessante como é hoje em dia”, revela.

Entretanto, o especialista em Direito Internacional vê a adição de 20 mil vistos no programa H2B com bons olhos. “Acredito que essas vagas farão muito bem ao mercado e, ao mesmo tempo, abrem a oportunidade para pessoas entrarem nos Estados Unidos e começar uma vida migratória com segurança, solidez e de forma regular. Além disso, irá trazer um conforto para o comércio, que vai poder respirar e voltar a engrenar da forma que deveria”, finaliza.

Sobre Daniel Toledo

Daniel Toledo é advogado da Toledo e Advogados Associados especializado em Direito Internacional, consultor de negócios internacionais, palestrante e sócio da LeeToledo PLLC. Para mais informações, acesse: http://www.toledoeassociados.com.br. Toledo também possui um canal no YouTube com quase 150 mil seguidores https://www.youtube.com/danieltoledoeassociados com dicas para quem deseja morar, trabalhar ou empreender internacionalmente. Ele também é membro efetivo da Comissão de Relações Internacionais da OAB Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa mapeia situação de controle interno dos municípios brasileiros

A Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) lançou, nessa segunda-feira (27), o “Diagnóstico dos Controles Internos...