terça-feira, 8 de fevereiro de 2022

Ivo Amaral - Administrador do Futuro


Transcrevemos neste sábado (12), artigo do premiado jornalista Gildson Oliveira. Uma homenagem do blog ao ex-prefeito de Garanhuns e ex-deputado estadual, Ivo Amaral, que durante 50 anos militou na vida pública de Garanhuns e região e hoje com 86 anos ainda esta contribuindo para o progresso de Garanhuns.

Gildson Oliveira*

Por uma decisão do Governo, Eduardo Campos esteve na residência de Ivo e lhe comunicou que o próximo FIG será realizado em sua homenagem, por dois motivos.

Primeiro porque o Estado, definitiva e oficialmente, através de suas lideranças políticas, culturais, artísticas e o público em geral, reconhecem Ivo Amaral o único criador desse evento histórico atravessando o tempo na projeção turística  e econômica do município e da vasta região do Agreste Meridional. E, ainda hoje, 23 anos depois, ganhou fronteiras, enaltecendo o nome de  Garanhuns e do próprio Estado de Pernambuco. 

O governador argumenta. como segunda opção para a homenagem, os 80 anos  que o ex-prefeito completará em 2014. É uma justificativa que poucos prefeitos e ex-prefeitos continuam a ser lembrados e respeitados pelo trabalho sério, evidenciando programas e projetos realizados e voltados unicamente em benefício da coletividade.

Foi preciso o governador Eduardo Campos se deslocar a Garanhuns, visitar Ivo em sua casa, na Avenida Rotary e, ali, na presença deste e de seus familiares, comunicar a decisão governamental de homenageá-lo reparando ingratidões e injustiças praticadas há tantos anos.

Ivo, de forma carinhosa e democrática, lúcido e ainda trabalhando, divide essa honraria com antigos assessores, funcionários e alguns amigos que o ajudaram a criar o 1º Festival de Inverno de Garanhuns, em julho de 1991.

Essa realização, anualmente promovendo Garanhuns e o Agreste é, tão somente, um pequeno detalhe de suas administrações como prefeito realizador e pioneiro em vários pontos. Os companheiros de mídia, como Roberto Almeida, Inaldo Sampaio, Ivanildo Sampaio, Joezil Barros, João Alberto e a colunista  Kitty  Lopes, dentre outros, atestam que Ivo Amaral e, sem a menor dúvida, o "administrador do futuro", o homem que governava com poucos recursos financeiros, pequenos repasses do Fundo de Participação dos Município (FPM).

Contendo gastos, conseguiu implantar galerias de águas pluviais, calçamento de ruas, reforma de pontos atrativos como o Alto do Magano, Parque Euclides Dourado, Pau Pombo, O Relógio Flores, instalado na Praça Tavares Correia, único ainda hoje no  Norte/Nordeste, afora investimentos nas festividades tradicionais.

Durante o "Centenário de Garanhuns", em 4 de fevereiro de 1979, chegou a editar publicação específica enfocando a trajetória histórica do município. Não ficou só nisso. Nos mandatos de Ivo, Garanhuns foi a primeira cidade pernambucana a ter ruas e avenidas asfaltadas e, nessa época, era "invadida", semanalmente, por centenas de turistas e visitantes que lotavam hotéis e hospedarias.

É importante lembrar a construção de salas de aula na área rural, reforma do edifício da prefeitura e descentralização dos serviços. Cobriu a cidade de belas praças, ruas e avenidas, como a Rui Barbosa. Ali nos canteiros centrais, a mulher  de Ivo, Sra. Nalva Amaral, era a "artesã das flores", plantando rosas e transformando a cidade de Garanhuns em extensos jardins com hortênsias e gerânios.

Foram muitas  as realizações, num planejamento técnico sob o comando do saudoso Jaime Pinheiro, que estimulava o prefeito, varando madrugadas. É importante não esquecer o lado cultural e das artes.

Vários foram os lançamentos de livros, guias turísticos, encontro de poetas, violeiros, cantadores de cordéis, escritores, sanfoneiros e cantores, como Dominguinhos, que sempre estava em sua cidade natal animando noitadas de São João, São Pedro e Santo Antônio, não esquecendo Luiz Gonzaga, que encerrou os festejos do centenário em 4 de fevereiro de 1979 e presenteou Garanhuns com a música "Onde o Nordeste Garoa" em parceria com o compositor Onildo Almeida.

Também o comércio e a indústria recebiam incentivos diversos. Em resumo, este é o retrato, sem retoque, do ex-prefeito, agora plenamente justiçado pelo próprio governador do Estado, Eduardo Campos.

*O jornalista e escritor Gildson Oliveira, faleceu em 11 de novembro de 2014. Foi editor regional do Diário de Pernambuco por 30 anos e publicou, dentre outras obras "Luiz Gonzaga, o Matuto que Conquistou o Mundo", "Câmara Cascudo - Um Homem Chamado Brasil" e "Frei Damião - O Santo das Missões".

Texto transcrito do Jornal Correio Sete Colinas de dezembro de 2013.

Foto: Edjenalva e Ivo Amaral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Concurso Prefeitura de Paranatama – PE: 180 vagas imediatas; até R$ 8 mil

Já está em andamento o concurso da Prefeitura de Paranatama, que oferta 180 vagas imediatas, com ganhos na faixa entre um salário-mínimo e R...