terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

História de Garanhuns


Em 18 de Fevereiro de 1978 o Jornal O Monitor PublicavaParaquedistas saltaram em Garanhuns - Ocorreram na manhã do dia 14 de fevereiro de 1978, na Fazenda Indiano, perto do 71º B.I. Mtz., vários saltos de paraquedismo do atual Curso da  Brigada Paraquedista, com sede no Rio de Janeiro.

É a primeira vez que  isto acontece em Garanhuns, uma força aerotransportadora, fazer um exercício de "mestre de salto". Isto prova a importância desta cidade ser incluída em tais exercícios.

O prefeito Ivo Amaral e o tenente Augusto da Silva Tavares, comandante do  nosso batalhão entre outras autoridades, assistiram os saltos a mil pés de altura ou seja a 300 metros.

O grupamento veio comandado pelo major Bernardino Nazareth Machado de Souza, da arma de Infantaria. A reportagem (O Monitor) esteve no quartel do 71º B.I Mtz, onde assistiu um jogo de futebol, cuja vitória coube aos militares de Garanhuns por 4x3.

Segundo o tenente Flávio André Teixeira, gaúcho, pertencente a arma de artilharia, o curso tem a duração de  4 semanas. O Centro de Instrução Paraquedista, tem o nome do General Penha Brasil.

A Brigada é composta de 3 batalhões de Infantaria, 1 grupo de Artilharia, 1 batalhão Logístico, e Cia.  de Comunicações, 1 Cia. de Dobragem, Manutenção e Suprimento de Paraquedas, 1 Cia. de Engenharia, 1 destacamento de saúde e o centro Instrução Paraquedista General Penha Brasil.

O aludido tenente ainda afirmou que o presente curso é para oficiais, inclusive de Nações amigas, como é o caso do capitão Roberto Moya, do Equador, que ouvia a entrevista.

O grupamento que  esteve nesta cidade era  composto de 64 paraquedistas, 4 pilotos, 8 tripulantes dos dois aviões búfalos  da FAB, 4 oficiais da Marinha do Brasil e 1 oficial do Equador. Tal força, veio procedente do Rio de Janeiro, via  João Pessoa, Garanhuns, Maceió, Penedo, Aracajú.

O mais importante desta reportagem é que  havia um filho de Garanhuns, entre a turma. Trata-se do 1º tenente José Roberto de Melo Queiroz, da arma  de Artilharia, onde pertence ao 8º Grupo de Artilharia de Companhia Paraquedista, com sede em  Deodoro - Rio de Janeiro. Ele é casado com uma jovem de Garanhuns, Sra. Maria Cristina Vidal Queiroz. O jovem oficial que tem 23 anos, estudou no "Colégio 15 de Novembro" nesta cidade e foi colega do arquiteto Alexandre Douglas, filho do professor Jaime Pinheiro. Afirmou o tenente Queiroz que é primo de Orlito Azevedo, da Fazenda Estadual.

O jovem tenente garanhuense, historiou fatos da Brigada Paraquedista que possui a Força Tarefa Santos Dumont da qual faz parte o 26º B. I. Paraquedista e uma  Bateria do 8º G.A.C. Paraquedista, tendo esta realizado em setembro do ano passado, uma manobra na região de Macaé (Rio de Janeiro),  considerada a maior no gênero, na América Latina, em lançamento de pessoal e de material pesado.

A uma pergunta nossa, disse o seguinte: "Foi grande a satisfação de voltar a esta cidade do "clima maravilhoso" e rever os parentes e amigos. Fiquei muito feliz de saltar na minha terra, em companhia dos meus companheiros do "Curso de Mestre de Salto", inclusive com o capitão Moya, do Exército do Equador. Deixo o meu abraço saudoso ao distinto prefeito Ivo Amaral, sua equipe e uma  continência ao Cel. Tavares, Cmt 71º B.I. Mtz que tudo fez em prol da nossa turma, graças ao seu espírito bondoso, bem como aos  meus amigos e parentes, inclusive a minha tia Antônia Queiroz e Silva".

Após o almoço, com a tropa em forma, falaram os dois Comandantes. O de Garanhuns, Cel. Tavares, desejando êxito no Curso e que esperava a volta dos componentes da Brigada, para as festas Centenárias de Garanhuns e que o  71º B.I. Mtz sentia-se honrado e envaidecido de ter hospedado um Grupo de Paraquedistas. O Major Machado, teve palavras de elogios pela  fidalga acolhida dada pelo Comandante e oficiais do Batalhão de Infantaria de Garanhuns. 

O tenente Queiroz, fez questão de almoçarmos juntos no restaurante dos oficiais do 71º B.I. Mtz, demonstrando seu  grau de oficial educado e de franca camaradagem.

Precisamente, às 14:30 horas do mesmo dia, os  dois aviões da FAB, tomaram o rumo de Maceió, seguindo assim, o plano de instrução do  Centro de Instrução Paraquedista General Penha Brasil, pertencente a Brigada Paraquedista comandada pelo General Fernando Valente Pamploma.

Afinal, foi um espetáculo digno de elogios, pelos belos saltos, arrojo e maestria daqueles soldados do Ar.

*Reportagem do jornalista Ulisses Peixoto Pinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Em 1935 Lampião leva pânico aos moradores de Garanhuns

Noites de inquietação e pavor de 26 de maio  a 1º de junho, em Garanhuns, com as notícias de Lampião nas proximidades. De fato, no dia 29 de...