domingo, 20 de março de 2022

Espiritismo

Raimundo de Moraes*

O principal objetivo  da Doutrina Espírita Cristã, não é apenas  divulgar os diferentes ensinamentos do Cristo, mas despertar na humanidade o interesse de  elevar os seus pensamentos em sentido puramente espiritual. Por  isso, os nossos Espíritos dispõem, integralmente, de um direito de  origem divina que é o Livre Arbítrio. Contudo, o livre modo de pensar, não quer dizer que essa liberdade continua um  licenciamento eterno, exatamente por que existe um tempo pré-determinado para  a nossa estadia aqui na Terra, portanto somente devemos emprega-lo naquilo que se prende ao aprimoramento do nosso Espírito.

Considerando-se que  a nossa temporada, nesse planeta, no período da presente reencarnação, é realmente passageira, não nos permitindo prever o instante em  que ocorrerá a nossa passagem para o Além, é justo que somente nos amparemos à sombra do Livre Arbítrio, no sentido de encontrar-mos o plano real da  perfeição espiritual. A morte, ou seja o conhecido fenômeno da desencarnação, como sabemos, não seleciona indivíduos, pouco se lhe importando as posições econômicas ou sociais,  que desfrutam nesta vida, pouco se lhe importando também os valores culturais, científicos,  artísticos ou sentimentos, ou ainda pendores poéticos e musicais, dos  quais sejam portadores, quando chega a hora exata da partida para o  Mundo da Espiritualidade. O que importa realmente é que às determinações divinas sejam cumpridas tal, conforme preceitua a Lei da Predestinação. E uma vez que não é permitido prever-se a hora exata do desencarne - seja a hora da morte - cabe à criatura humana tomar o necessário cuidado, preparando-se para o encontro com a outra vida, no Mundo da Espiritualidade. Não se tendo como certo, também a maneira de como se efetivará nossa transferência para o outro mundo, convém que meditemos sobre esse fenômeno.

Sabe-se todavia que  as almas ao desprenderem-se da matéria, que é o nosso corpo, seguirão conforme está escrito para o espaço sideral. Os corpos porém oferecendo-nos diferentes aspectos, retornam em decomposição, ao  seio da Terra, porque veio do Pó e nele se  tornará, a fim de alimentar outras vidas, mesmo que sejam as vidas vegetais. A morte poderá ocorrer através das lutas pessoais e nos combates das perigosas e desumanas guerrilhas, onde um triste conceito de orgulho e de inveja predomina. Através das  obsessões, onde se observe a ação dos Espíritos atrasados, os suicídios se realizarem. Nos leitos, onde o sofrimento desperta a arrependimento para uma reconciliação com DEUS. Registra-se o desencarne de varias modalidades contanto que a ignorância prevalece. 

*Médico, jornalista, cronista, historiador e politico | Garanhuns, 10 de Junho de 1978.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Secult-PE/Fundarpe divulga resultado final das propostas classificadas do FIG 2022

A Secult-PE e a Fundarpe divulgam o resultado final das propostas classificadas na análise de mérito artístico-cultural do 30º Festival de I...