sexta-feira, 8 de abril de 2022

Alma triste


Maria Maura de Melo

Se a consciência me dissesse um dia,

A onde mora e onde existe a alegria,

Que vejo no olhar de muita gente,

Talvez destes grilhões me libertasse

Esta tristeza, esta mágoa me deixasse

E a vida me sorriria docemente.


Duas forças me tornam quase morta,

Uma passa por mim e fecha a porta,

Outra zomba de mim sem compaixão.

Minh'alma de sofrer, já não resiste,

Nem o vigor que o viver consiste,

Porque sinto gelar-me o coração.


E vão passando assim meus dissabores,

meu peito não tem crença nem amores,

Nem o meus dias tem mais luz.

Não posso mais viver desta maneira.

Suportar esta vida de canseira,

Carregar sobre os ombros, imensa cruz.

Águas Belas | Ano 1986.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Municípios de PE recebem R$ 87,9 milhões da cessão onerosa em 20 de maio

Municípios pernambucanos recebem recursos da cessão onerosa no valor de R$ 87,9 milhões na próxima sexta-feira, 20 de maio. Uma das conquist...