domingo, 1 de maio de 2022

Garanhuns Antiga

Foto: Diretoria do Sport Clube de Garanhuns em 1926 - A foto acima mostra a diretoria do Sport Clube de Garanhuns, quando o mesmo era a coqueluche de nossa cidade, com homens de primeira grandeza nos tempos áureos do esporte, no ano de 1926. Da direita para a esquerda, em pé: Antônio Brasileiro (ex-prefeito de Garanhuns), Francisco Leal, Pedro Firmino, Dr. Ivo Rangel, Dr. Hibernon Wanderley; Sentados:  Joaquim Leal (irmão de Francisco Leal), Francisco Dantas, Dr. Luiz da Silva Guerra (ex-prefeito de Garanhuns), Agripino do Rego Barros (irmão do saudoso Dr. Godofredo de Barros) e Manoel Cipriano. A foto foi cedida ao jornal O Monitor pelo Sr. Antônio de Barros Correia e tirada por Esperidião Falcão

Sport Clube, Comércio e AGA - A vida esportiva de Garanhuns era bem movimentada. Duas grandes agremiações manipulavam toda a atividade social e esportiva da nossa cidade. Era o Sport Clube de Garanhuns, cores vermelho e preto, e o Comércio Futebol Clube, cortes preto e branco. O Sport teve vários Presidentes destacando-se entre outros, o trabalho de Vitor de  Moura, médico, irmão do 1º Bispo de Garanhuns. Vários anos depois, encontrei o Dr. Vitor Moura, no Rio de Janeiro, dirigindo o setor de Assistência Social do Prefeito Henrique Dosworth, na campanha pela habitação popular em substituição às favelas. Vitor de Moura, dedicava também especial atenção ao problema do velho desamparado, dirigindo o Albergue de Boa Vontade.  Outro atuante Presidente do Sport foi também um médico, o Dr. Luiz Guerra, que exerceu durante muito tempo o seu mandato, sendo reeleito várias vezes. Na sua gestão o Sport, tece fase áurea, inclusive construção de sede própria, campo de futebol, arquibancada e vários programas sociais e artísticos. Os seus bailes sociais e de carnaval, foram acontecimentos que marcavam época. Antes da sede própria, os bailes do Sport eram realizados no edifício do Paço Municipal, na Rua Santo Antonio. O seu quadro de futebol teve a presença de Péricles, Sebastião Popó e outros astros de primeira grandeza daquele tempo. O maior rival do Sport era o Comércio, sob a presidência por muito tempo de um médico, o sergipano Tavares Correia, a quem nossa cidade muito deve. No seu time, as figuras ainda lembradas de Mário Lira, Antonio Lira, Sady Orany, e tantos outros que suavam as camisas na fase maravilhosa do amadorismo. Rivais durante todo o tempo, o Sport e o Comércio, se juntavam quando as disputas passavam para o campo do regionalismo interiorano e quando era necessário defender o nome de Garanhuns. Todas as dificuldades passavam e tudo se integrava na bandeira da  cidade. Ninguém era do Sport, ninguém do Comércio, todos eram de Garanhuns e mais nada. Outras agremiações surgiram: o América, o Iracema, mas tiveram vida curta.

O Sport Clube de Garanhuns, se tivesse continuado na sua trajetória brilhante de vários anos, seria hoje, um dos clubes mais antigos de Pernambuco. Foi fundado em 11 de outubro de 1919,  e muito contribuiu para o desenvolvimento social e esportivo de Garanhuns, conforme salientamos acima. Em reportagem publicada no "Álbum de Garanhuns",  edição de 1922/1923, encontro dados de sua fundação com a sua primeira Diretoria, composta das seguintes pessoas: Presidente: Genésio Vilela; Vice-presidente: Joaquim Leal; Secretários: Waldemar Guimarães e Mário Lira; Orador: Massilon Souto; Tesoureiro: Ismael Gouveia; Diretor de Esportes: Mário Mota.

O "Comércio Sport Clube", nasceu de dissidências do antigo Sport, tendo assim que Mário Lira, escreve também no Álbum de Garanhuns, o seguinte:

"Em 26 de agosto de 1921, um grupo de moços amantes do ar livre, reuniu-se na casa de um desses, na rua Santo Antonio, e aí fundou a "Comércio Sport Clube". Foram eles: José Maia, Hernany Albuquerque, Raymundo Cavalcanti, Manoel Leal e outros.

Partiu a ideia da fundação do Clube, de José Maia Leite, Raymundo, Leal e Lira, e foi na casa deste último que, pela primeira vez e vezes subsequentes, se reuniram os primeiros alvinegros. Dificilmente poderíamos dar uma ideia perfeita das lutas, revezes e dificuldades surgidas de momento a momento. O despeito, a inveja e a intriga - velhos camaradas - logo se armaram e, unidos, deflagraram tenacíssima guerra de estorvo e dissolução ao fim colimando, sem contudo, graças ao nosso trabalho, amor e dedicação à causa que abraçamos, até então, conseguiram o resultado funesto que almejavam.

E vencemos! Vencemos porque aí está o "Comércio Sport Clube", firme e coeso, próspero e feliz, unido e forte e forte e unido na defesa do programa traçado, de belas e louváveis inciativas.

Os esforços empregados por esta sociedade em prol do desenvolvimento desportivo de Garanhuns, estão patentemente guardados na consciência de todos.

Tendo apenas dias de existência social, pôs o "Comércio" sua primeira equipe em campo, contra o adestrado e valoroso quadro do  "São José Sport Clube", batendo-o facilmente pelo score de 2 x 0. A essa pugna seguiram-se outras com "Sport Clube Garanhuns" e "São José", cabendo-lhe quase sempre a palma da vitória hoje, e às vezes um honroso e justo empate".

Muitos anos se passaram com as lideranças esportivas e sociais do Sport e Comércio, até que em 1930, surgiu a AGA, que já, completou o seu cinquentenário. Louvando as suas atividades, neste cinquenta anos, o  "Diário de Pernambuco", edição de 30 de agosto de 1980, pelo seu correspondente em Garanhuns, publicou a seguinte nota:

"AGA REUNE SÓCIOS PARA FESTEJAR 50 ANOS DE ATUAÇÃO"

GARANHUNS - O cinquentenário de fundação da Associação Garanhuense de Atletismo - AGA, cuja programação foi cumprida durante  todo o corrente mês, terá seu ponto culminante no dia de amanhã, quando há 50 anos atrás, exatamente no dia 31 de agosto de 1930, às 10h30m da manhã daquele domingo, foi concretizado o sonho de sete rapazes da  cidade e criada uma nova agremiação sócio-esportiva-cultural.

Apesar do número oficial de sócios-fundadores da AGA, segundo documento do clube, ser de 51 pessoas, na realidade apenas sete - Anthero Wanderley, José Mota, Jayme Luna, Aluysio Gomes Cabral, Severino Pessoa de Albuquerque, Lourival Wanderlei e Antonio Soares - foram de fato os idealizadores e principais criadores da Associação Garanhuenses de Atletismo. Vale lembrar o nome de Carlos Ribeiro da Silva, que eventualmente, fazia parte do grupo.

HISTÓRICO - No ano de 1930, o principal ponto de encontro dos jovens, políticos e homens de negócios da cidade era o Café e Restaurante Ítalo-Brasileiro, que hoje não mais existe. Enquanto nas várias mesas, grupos diversos discutiam os temas da época, numa mesa de canto, os sete rapazes planejavam a criação de uma nova agremiação, já que tanto o Sport Clube de Garanhuns, quanto o Comércio Sport Clube, ferrenhos adversários nas disputas esportivas, se encontravam afastados de qualquer atividade esportiva-social.

Para pequenas excursões aos municípios da região e disputas locais, esses rapazes tinham o São Cristóvão Futebol Clube, que em julho de  1930 obteve duas vitórias em Bom Conselho e Angelim, porém a ideia era fundar uma agremiação com maior projeção, animados com a crônica de Hibernon Wanderley publicada em "O Jornal", periódico de maior circulação em Garanhuns, na qual o articulista defendia a tese de que não havia nenhuma razão para o novo clube ser chamado de São Cristóvão, já  que inexistia local na cidade com esse nome. resolveram escolher uma  outra denominação.

Como naquele tempo havia no Recife uma agremiação denominada de Associação Pernambucana de Atletismo - APA, resolveram os moços de Garanhuns, denominar a nova entidade de Associação Garanhuense de Atletismo - AGA. E assim, convidaram inúmeras pessoas, algumas das quais de influência na cidade, e às 10h30m de manhã de 31 de agosto de 1930, um domingo, na sede da Associação dos Empregados no Comércio, foi realizada a sessão de fundação.

Os idealizadores convidaram o Sr. Adhemar Pires Travassos para  presidir a sessão e foi eleita a seguinte diretoria: Presidente de Honra - Desembargador Joaquim Maurício Wanderley, que residia em Garanhuns; Diretoria Executiva: Presidente - José Gaspar da Silva; Vice-presidente - Mário Lira; 1º Secretário - Carlos Wanderley; 2º Secretário - Josemyr Rosa Correia; Tesoureiro -José Mota da Silva; Vice-tesoureiro - José Bezerra Neto; Orador - Sátiro Ivo Júnior; Vice-Orador - Jayme Luna; Diretor de Esportes - Lourival Wanderley; Vice-Diretor - Manoel de Souza e Silva; Diretor-Técnico - Sargento Amâncio Nunes da Silva; Vice-Diretor Técnico - Severino Pessoa de Albuquerque; Comissão de Polícia - Adhemar Travassos, Alfredo Leite Cavalcanti, Aloysio Gomes Cabral e Odilon Barbosa de Queiroz.

Nesses 50 anos de existência, a Associação Garanhuense de Atletismo - AGA teve autênticos baluartes, aos quais se deve muitas de suas glórias e até mesmo a sua manutenção. Dentre eles surgem os nomes de  Tranquilino Lopes Viana, que ocupava vários cargos, inclusive os de Vice-presidente e Secretário; Antônio Pereira, que adquiriu a primeira sede própria, à Rua Dr. José Mariano; José Bezerra Sobrinho, quer construiu a atual sede da Avenida Rui Barbosa, além de Péricles Santos, José Vieira, Miguel Figueiredo, Lourival Wanderley, Adhemar Pires Travassos, Anthero Wanderley, Deusdedith Maia, Francisco Sady Orani, José Figueiredo de Freitas, Dorval Santos, José Mota, Jayme Luna, Aloysio Gomes Cabral e, mais recentemente, Aguinaldo de Barros e Silva, Onias Lima e outros.

Nas suas respectivas gestões, os presidentes que mais se destacaram neste 50 anos da AGA, foram os seguintes: José Gaspar da Silva, Álvaro Viana, Mário Matos, Anísio Pinto; Epitácio Cordeiro Pessoa Cavalcanti, Pedro da Silva Maia, Júlio Pires, Orlando Wanderley, Ivo Tinô do Amaral, João Cândido da Silva, Manoel Cândido da Silva e Severino Ferreira de Moraes Filho. Na gestão deste último, foi um dos seus diretores o Jornalista Marcílio Viana Luna. (Fonte: Alfredo Vieira | Garanhuns do Meu Tempo | Ano 1981).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

30º FIG homenageia Ivo Amaral e Marcílio Reinaux

Blog do Carlos Eugênio Garanhuns vive a expectativa do lançamento da programação oficial do 30º Festival de Inverno. Neste ano, a Festividad...