sábado, 2 de abril de 2022

História de Garanhuns

Foto: Chegada do Interventor Federal no Estado (governador), Agamenon Magalhães, Ministro da Guerra, General Eurico Gaspar Dutra, Brigadeiro Eduardo Gomes, entre outros, em 8 de junho de 1943 para inauguração do Palácio da Prefeitura  (Atual Palácio Celso Galvão).

Festividades de Inauguração da Prefeitura de Garanhuns realizadas em 08 de Junho de 1943

PROGRAMAÇÃO 

8 horas - Inauguração do Campo de Aviação, com festiva recepção aos  Exmos. Srs.  Ministro da Guerra, Interventor Federal e Comandante da 7ª Região Militar e demais autoridades visitantes. Formatura do 21 B. C., Associações de Classe, Ginásios, Escolas, Escoteiros, na avenida Santo Antônio, que desfilarão em homenagem às autoridades.

8:30 horas - Inauguração do Palácio da Prefeitura, seguindo-se o desfile.

10 horas - Inauguração do Grupo Escolar Henrique Dias.

11 horas - Visita ao Quartel do 21 B. C.

12 horas - Almoço de 150 talheres, no salão de festas da Academia Santa Sofia, oferecido pelas Classes Conservadoras.

15 - horas - Inauguração da Praça da Bandeira.

15:30 horas - Inauguração do Jardim Central da Praça Dom Moura.

16 - horas - Lançamento de padra fundamental do Grande Hotel Monte Sinai.

19 horas - Retreta da Banda de Música da Força Policial, em frente ao Palácio da Prefeitura.

22  horas - Baile na Associação Garanhuense de Atletismo (AGA).

CONVITE - O Prefeito Municipal Celso Galvão, tem a subida honra de convidar à todos os garanhuenses para assistirem as festividades que vão ser promovidas por ocasião das inaugurações de vários serviços públicos e, bem assim, em sinal de sincera e justa homenagem às honrosas visitas de  S. S. Excias., o General Ministro da Guerra, o Interventor Federal no Estado e o General Comandante da 7ª Região Militar.

GARANHUNS VIVEU HORAS DE INTENSA VIBRAÇÃO CÍVICA E POPULAR

Grandiosas homenagens prestadas por  todas as classes sociais e pelo povo ao Ministro Eurico Dutra - O grande desfile militar e escolar e revista às tropas do 24º B.C. - Inauguração do Palácio da Prefeitura, do Hospital "Dom Moura" e do Grupo Escolar "Henrique Dias" - O almoço oferecido, do Salão de Festas do Colégio Santa Sofia, pelas classes conservadoras ao bravo soldado.

Havendo partido às 8 horas e 15 minutos do Campo do Ibura, nesta capital, o avião, conduzindo o ministro Eurico Dutra, interventor Agamenon Magalhães, general Newton Cavalcanti, comandante da 7ª Região Militar, brigadeiro Eduardo Gomes, comandante da 2ª Zona Aérea e general Lúcio Esteves, inspetor do Primeiro Grupo de Regiões, chegou ao campo de pouso de Garanhuns, às 9 horas.

No campo, que era assim oficialmente inaugurado, aguardavam a chegada das altas autoridades o prefeito Celso Galvão; Dr. Barros Lima, diretor do Instituto de Assistência Hospitalar; Dr. Nilo Pereira, diretor do Departamento Estadual de Imprensa e Propaganda; Monsenhor José de Anchieta Callou, representando o bispo de Garanhuns; Dr. Armando Temporal, diretor do Hospital do Centenário; major Cinzeno Sarmento, comandante do 21º Batalhão de Caçadores; Dr. Alves Pinto, diretor do Hospital Dom Moura; além de prefeitos de várias cidades do interior, outras autoridades civis estaduais e municipais e muitos populares.

No momento do desembarque, as autoridade visitantes foram cumprimentadas pelas autoridades presentes, enquanto o povo aclamava entusiasticamente  o Ministro da Guerra. O avião ministerial foi precedido por um avião batedor do Aéreo Clube de Pernambuco, pilotado pelo Capitão Roberto Pessoa e seguido por outro avião, conduzindo os generais Souza Ferreira, diretor de Saúde do Exército e Heitor Borges, comandante da 7ª Divisão de Infantaria; capitão Ascendino Lins, capitão Nobrega e tenente Freixinho, ajudante de ordens.

Após os cumprimentos e votos de boas vindas, as altas autoridades visitantes e comitiva seguiram de automóvel para a cidade. Em todo o percurso, os alunos das escolas primárias e o povo prorrompiam em aclamações. Ao se aproximarem do edifício da Prefeitura, as autoridades saltaram, dirigindo-se a pé entre alas de estudantes, associações de classes e escoteiros até o novo e majestoso edifício do paço municipal, na avenida Santo Antônio.


PALÁCIO DA PREFEITURA

O ministro Eurico Dutra, interventor Agamenon Magalhães, general Newton Cavalcanti e comitiva eram esperados, em frente ao palácio da Prefeitura pelo Almirante José Maria Neiva, comandante naval do Nordeste; Dr. Arnóbio Tenório Vanderlei, secretário do Interior; Dr. Novais Filho, Prefeito do Recife; Dom Mário Vilas Boas, Bispo de Garanhuns e outras pessoas. Um grupo de senhorinhas jogou flores à passagem das autoridades. Debaixo de  calorosa salva de palmas, o Ministro Eurico Dutra cortou a fita simbólica, dando por inaugurado a Palácio da Prefeitura.

Em seguida, dirigiram-se as autoridades para o Salão Nobre do Edifício, onde o Prefeito Celso Galvão leu o discurso. O salão estava repleto de autoridades e pessoas de destaque do Município. Terminado o discurso, o prefeito foi cumprimentado pelos presentes, havendo o bispo D. Mário Vilas Boas levado a efeito a benção do prédio. O digno prelado garanhuense pediu a todos que aclamassem o interventor Agamenon Magalhães, acentuando que o chefe pernambucano estava ali em sua casa de  verão. Foi servida então uma taça de champanhe às autoridades.

O DESFILE

Da sacada do Palácio da Prefeitura, o ministro da Guerra e comitiva assistiram a garbosa marcha dos soldados do 21º Batalhão de Caçadores, que desfilaram em continência ao chefe do Exército brasileiro.

Após, ao som da banda de música da Força Policial de Pernambuco, desfilaram, conduzindo o pavilhão nacional e seus próprios estandartes e flâmulas, as seguintes escolas de Garanhuns: Escola Maria Digna; escolas primarias estaduais e municipais; escoteiros de Santa Rosa e tropa de escoteiros Henrique Dias; Colégio 15 de Novembro; Ginásio de Garanhuns e Ginásio Feminino Santa Sofia, o qual postou-se em frente à prefeitura, numa  homenagem especial às autoridades. 

Ministro da Guerra, General Eurico Gaspar Dutra e o Prefeito Celso Galvão.

Frente à Prefeitura, estavam estendidas quatro faixas, com os seguintes dizeres: "Garanhuns agradecida recebe, com verdadeira efusão, a visita de  S. Excia. o ministro da Guerra, General Eurico Gaspar Dutra"; "Ao interventor Agamenon Magalhães, Garanhuns saúda com efusão patriótica"; "Ao digno comandante da Região Militar, general Newton Cavalcanti, Garanhuns oferece o seu preito de sincera homenagem" e "Pernambuco tem agora o governo de que precisava para trabalhar e prosperar em paz (palavras do Presidente Getúlio Vargas). É a este Governo que Garanhuns saúda com efusão patriótica".

DISCURSO PROFERIDO PELO PREFEITO DR. CELSO GALVÃO NO ATO DA INAUGURAÇÃO DO PALÁCIO MUNICIPAL

Exmo. Sr. Ministro da Guerra, Exmo. Sr. Interventor federal, Exmo. Sr. Comandante da 7ª Região Militar, Exmo. Sr. Almirante Comandante Naval do Nordeste, Exmo. Sr. Bispo Diocesano de Garanhuns, Exmo. Sr. Brigadeiro, Exmo. Sr. Secretário do Interior, Exmos. Srs. Oficiais Generais, Exmo. Sr. Prefeito da Capital, Srs. Oficiais, digníssimas autoridades, minhas senhoras meus  senhores.

É com justificado orgulho que este município recebe a visita, altamente honrosa, do excelentíssimo Sr. Ministro da Guerra, general Eurico Dutra. Por feliz coincidência, veio sua excelência num dia festivo para Garanhuns, dia em que se comemora o término de obras que ansiosamente eram aguardadas pela população e que doravante benéficos e relevantes serviços lhe irão proporcionar.

Sua excelência que no seu dinamismo está sempre realizando visitas de inspeção às unidades militares que lhe são subordinadas, já conhecia a nossa capital e agora dignou-se de vir a este modesto recanto da terra pernambucana para inaugurar essas obras dando mais realce e maior brilhantismo a  esse acontecimento.

Afortunada hora, esta, em que sua Excia., que faz parte, com real destaque, da alta administração do país tem oportunidade de apreciar os efeitos da operosa gestão governamental no nosso Estado, gestão que se reflete proveitosamente em todos os municípios.

Em nome do povo e do município de Garanhuns apresento a vossa excelência e à sua brilhante comitiva votos de boas vindas de par com o nosso agradecimento pela honrosa visita que vos vem de fazer.

Geralmente invade-nos uma sensação de conforto e de bem estar quando após um dia afanoso de útil tarefa vemo-la terminada.

Contrastando com o relaxamento dos músculos, vencidos pela fadiga, o espírito se renova e inspira-nos esse contentamento íntimo que se traduz na alegria de viver.

Essa sensação, Srs., eu a sinto neste momento. Domina-me a satisfação imensa, intraduzível, de haver podido cumprir com o meu dever.

Conforta-me a certeza de haver contribuído com o meu esforço para  que se realizasse uma velha aspiração dos filhos desta terra abençoada.

E Deus, na sua infinita graça e incomensurável sabedoria, permitiu que  recaísse sobre mim, que aqui  tive a ventura de nascer, mas de onde estive afastado por vários anos, a sua escolha para ser o realizador desse desejo veemente dos meus conterrâneos.

Não houve mérito no meu trabalho, nem encontrei entraves na orientação dos serviços de construção deste edifício, porque, desde o seu início todas as facilidades me foram proporcionadas. O interventor Agamenon Magalhães que nos dá a honra de achar-se aqui presente, acolheu com simpatia e com entusiasmo a ideia da construção de um edifício para servir de sede ao governo municipal de Garanhuns, como, aliás tem apoiado todos os demais.

Em 20 de dezembro de 1937, assumi o cargo de prefeito deste município e neste posto me tenho mantido até hoje, mercê da confiança em mim depositada pelo excelentíssimo Sr. Interventor Federal e por ter contado com o apoio e colaboração dos meus conterrâneos.

Esse apoio e essa colaboração eu os pedi nas palavras que proferi no ato de minha posse neste honroso cargo.

E, felizmente, fui atendido, tendo contado com a  honesta e leal colaboração dos homens de boa vontade deste terra privilegiada.

A princípio, tendo encontrado a municipalidade uma difícil  situação financeira, fui forçado a adotar medidas drásticas para a compreensão das despesas e elevação da receita. As providências que então escolhi feriram alguns interesses particulares e geraram descontentamento. Preferi arrosta-los e acastelei-me no programa, por mim próprio traçado para conseguir o saneamento das finanças municipais. Este era  o único caminho que se me deparava e o que deveria trilhar, se me quisesse tornar útil à coletividade garanhuense.

Não hesitei e palmilhei-o com decisão. Sob regime deficitário ou amparado numa economia vacilante nada poderia realizar. Tive de enfrentar óbices e criticas tendenciosas. Fui chamado de usuário mas fechei ouvidos a esses murmúrios.

Afortunadamente pude ver efetivada essa minha ardente aspiração. Consegui o desejado equilíbrio orçamentário, paguei todas as dívidas que pesavam e desacreditavam o erário municipal. Acumulei saldos e restabeleci a  confiança pública para o governo do município.

Restava dar início às obras e aos melhoramentos de que o município tanto carecia. Não era possível deixar a cidade de Garanhuns estacionária.

O Estado em ritmo acelerado sob a orientação sadia de um governo inteligente, desenvolvia as suas fontes de produção e projetava obras de grande alcance social. Era propício para Garanhuns aproveitar esse clima de  renovações e incorpora-la  a essa corrente. Foi o que fiz.

Não podendo fazer tudo o que a cidade necessitava procurei executar o que era mais premente.

Encarei o problema de pavimentação de algumas de suas principais  artérias, como sendo o de mais urgência e procurei resolve-lo. Era preciso mudar o aspecto antiquado de algumas ruas e dota-las de feição moderna e higiênica, tornando também mais aprazíveis algumas de suas praças. Isto foi feito.

Urgia por em equação outro problema talvez mais sério e mais importante para o Município. Tratava-se da sede do governo municipal. Garanhuns, é, sem favor, um dos municípios mais prósperos de Pernambuco. A cidade goza de enorme prestígio  pela amenidade de seu clima privilegiado, e pelos encantos de sua natureza. E, considerada como cidade de turismo e de repouso.

Para aqui afluem pessoas residentes na capital do Estado e municípios circunvizinhos, bem como habitantes de outros Estados.

Era humilhante, senão deprimente, que a sede do município continuasse onde estava, um barracão inadequado e situado numa travessa. Impunha-se a  imperiosa necessidade da construção de um edifício condigno e que estivesse à altura da importância do município.

Dei os primeiros passos para a realização desse melhoramento. O Sr.  Interventor Federal como acabei de referir, prestigiou a ideia, e concordou em ceder o terreno onde existia um antigo grupo escolar, desde que outro terreno, em lugar mais apropriado, fosse substituir aquele, para no mesmo ser edificado um outro grupo, modernizado, o qual já foi construído e hoje mesmo vai ser inaugurado (Grupo Escolar Henrique Dias).

Devemos render graças a Deus e sentimo-nos feliz em poder realizar uma obra construtora neste abençoado recanto da pátria brasileira, quando os espíritos do mal empenham-se na tarefa de destruição em todas as partes onde a sua ação ruinosa pode chegar.

A par do esforço de guerra em que o Brasil está integrado, pela causa dos aliados, que é a sua própria causa, ainda podemos trabalhar com liberdade pela civilização e pelo progresso nas nossas cidades.

O Edifício da Prefeitura Municipal está construído.

Garanhuns agora tem sua casa própria.

TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO DA NOVA PREFEITURA


A construção do no Palácio Municipal constituiu-se num orgulho para Garanhuns. No início abrigou todas  as atividades da administração do município,  Câmara Municipal, escola de bordado e biblioteca. Foram gastos na construção Cr$ 535.754,90, causando admiração na época por ter sido uma importância relativamente pequena. Na torre do prédio, um relógio com mostradores em losango, adquirido no Rio de Janeiro, aos relojoeiros "Jacques Perret & Cia."  No jardim temos um Cedro Rosa que serviu como caibro do andaime da construção e que hoje é Patrimônio Histórico de Garanhuns e que é protegido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Em 1935 Lampião leva pânico aos moradores de Garanhuns

Noites de inquietação e pavor de 26 de maio  a 1º de junho, em Garanhuns, com as notícias de Lampião nas proximidades. De fato, no dia 29 de...