quinta-feira, 14 de abril de 2022

História de Garanhuns

1º Prefeito de Garanhuns - Em 21 de fevereiro de 1892, realizaram-se novas eleições, conforme apuração das urnas de três secções, das que funcionaram, verificou-se o resultado seguinte: Para Prefeito, Padre Pedro Pacífico de Barros Bezerra, 175 votos; para Subprefeito, Antonio Pedro de Barros, 194 votos; Para o Conselho Municipal, Antonio Paes de Lira Junior e Francisco Souto de Carvalho Furtado, 122 votos cada; José Teles Furtado, Antonio Machado da Silva e Joaquim Gualberto da Costa, 116 votos cada; João Michel da Silva Gueiros, José Paulino da  Silva Burgo e Manoel Bezerra de Vasconcelos Biu, 106 votos cada um; Francisco Machado de Medeiros, 76 votos; José Liberato Correia, 66 votos; Antonio Batista dos Santos 12 votos; José Alves da Silva Tororó, Manoel da Costa Campelo e João Batista da Rocha, 10 votos cada. Apesar de não terem sofrido nenhuma alteração, também foram anuladas estas eleições, não nos sendo possível encontrar os motivos que para isso concorreram. Finalmente, somente com a realização das eleições de 20 de Outubro de 1892, é que foi definitivamente resolvido a formação do primeiro governo do Município de  Garanhuns.

Dois partidos políticos se organizaram, afim  de disputarem os cargos eletivos: um chefiado pelo Dr. Severiano do Rego Chaves Peixoto e outro pelo Major Antonio da Silva Souto.

A apuração dos votos das urnas das quatro secções que funcionaram apresentou o seguinte resultado: para Prefeito o Major Antonio da Silva Souto, 204 votos (foto), e o Dr. Severiano Peixoto, 158 votos; para Subprefeito - o Capitão Napoleão Marques Galvão, 205 votos e Joaquim Ferreira dos Santos Melo, 156 votos; para o Conselho Municipal - Pascoal Lopes Vieira de Almeida e José Alves da Silva Tororó, 207 votos cada um, Vitorino Alves Monteiro, Augusto Cesário de Araújo, Antonio Paes da Silva Souto e Agostinho José de Góes, 206 votos cada; Joaquim Correia Brasil Júnior, 157 votos; João Batista Chaves Peixoto e Manoel Bezerra de Vasconcelos Biu, 156 votos cada um; Francisco  Peixoto Vilela e Silvério Ribeiro, 155 votos, e José Teles Furtado, 154 votos. Com os cidadãos que obtiveram maioria de votos, tanto para o poder executivo como para os legislativo, que se compunha de 9 membros, todos  com o mandato de três anos, foi constituído o primeiro governo autônomo de Garanhuns. (Fonte: Alfredo Leite Cavalcanti | História de Garanhuns  | Volume II | Garanhuns, Fevereiro de 1973).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

107 anos de Amílcar da Mota Valença

Hoje lembramos os 107 anos de nascimento de Amílcar da Mota Valença. No meado do mês de maio de 1915, o casal Abílio Camilo Valença e ...