domingo, 1 de maio de 2022

História de Garanhuns

Principais ações de Dom Expedito Lopes à frente da Diocese de Garanhuns 

- Em 07 de março de 1955 - um mês apenas de sua posse, já organizou os "Estatutos da Congregação da Doutrina Cristã", com a finalidade de promover a catequese nos bairros da  cidade.

- Determinou a construção do Centro Social do  Magano, para atendimento aos pobres.

- realizou a 1ª Semana Eucarística em adesão ao  XXXVI Congresso Eucarístico Internacional do Rio de Janeiro, de 14  a 24 de julho de 1955. Foi realizada em maio deste mesmo anos a  Semana Eucarística que abrangeu grande parte da população de  Garanhuns, com grande êxito.

- Organizou os Estatutos da Obra Filial da Pontifícia Obra das Vocações Sacerdotais, na Diocese.

- Neste mesmo ano, foram publicadas ainda os  Estatutos da Obra dos tabernáculos em favor das Igrejas pobres da Diocese de Garanhuns.

- Em 02 de fevereiro de 1956 fundou o Instituto das Missionárias de Nossa Senhora de Fátima do Brasil, escreveu, junto com as irmãs, suas primeiras Constituições e as entregou aprovadas por Roma, em 13 de maio de 1957 (um mês e três dias antes do seu assassinato).

- Em 07 de março de 1956, inaugurou outro Colégio Diocesano, o Ginásio do Arraial, construído por Monsenhor Adelmar da Mota Valença, e deu a administração às Missionárias de Nossa Senhora de Fátima. Atualmente pertence ao Instituto das  Missionárias de Nossa Senhora de Fátima e tem denominação de  Colégio Monsenhor Adelmar da Mota Valença.

- Na Páscoa de 1956, publicou um "Memorando" ao  Clero Diocesano de Garanhuns (um resumo das muitas recomendações ao Clero por ocasião do último retiro espiritual).

- Nomeou o Monge beneditino Dom Jerônimo de Sá Cavalcante, como representante da Diocese do  CELAM (Conferência Episcopal Latino Americana).

- Dom Expedito era atento aos sinais dos tempos, aos  apelos da época. Iniciou na Diocese a Renovação Litúrgica.

- Pregou a Retiro dos Homens Católicos de  Garanhuns no Carnaval de 1956.

- Ainda em 1956, fundou a Sociedade de Assistência e Recuperação de Menores Abandonados (SARM). Os Estatutos foram publicados no "Diário Oficial" de 22 de setembro de 1956 e  registrados em Cartório, em 03 de outubro de 1956. Esta Sociedade contava com um Conselho Deliberativo e uma Diretoria Executiva, aclamada para administrar o triênio de 1956 a 1958. Este Conselho deliberativo constava de 20 pessoas. Muitas eram autoridades e  outras, pessoas de grande influência na Sociedade de Garanhuns (Prefeito, Juiz, Advogados, Religiosos, cidadãos).

- Fez visitas Canônicas às Religiosas da Diocese.

- Escreveu e publicou, no "O Monitor" (jornal da época), muitas Cartas Circulares dirigidas ao Clero da Diocese, durante estes anos de seu Pastoreio.

- Dom Expedito idealizou a criação de uma  Faculdade de Filosofia para Garanhuns. Foi ele o pioneiro dessa grande causa. Deu os primeiros passos e fez entrega ao Ministério da  Educação dos documentos exigidos acompanhados do seu pedido que, se revestia do desejo imenso de dotar Garanhuns de uma Escola de nível superior.

Tinha como um dos objetivos entregar a Direção da Faculdade ao seu  recém-fundado Instituto das Missionárias de  Nossa Senhora de Fátima, tendo como sede da Faculdade o Ginásio do Arraial, hoje Colégio Mons. Adelmar da Mota Valença.

A notícia da Aprovação só chegou à Garanhuns em 04 de agosto de 1960, três anos após a morte de Dom Expedito.

- Dom Expedito construiu também as seguintes obras:

1 - Cúria Diocesana, ao lado esquerdo da casa do Bispo.

2 - Salão anexo à Escola Profissional, para patrimônio da Diocese.

3 - Ampliou o Seminário São José.

4 - Quatro (04) casas para, com o aluguel, ajudar a  Obra das Vocações Sacerdotais.

Dom Expedito viveu seu episcopado não como privilégio, mas como "Serviço ao povo". Homem de oração, viveu a simplicidade, a humildade. Foi forte e grande na caridade, na fé e no  zelo apostólico. Viveu como os pobres. Colocava Deus acima de  tudo o que é conforto, pois era Deus o valor absoluto de sua vida. Homem que a todos edificava com sua presença simples, sábia e acolhedora. Com atitudes firmes e gestos decididos e justos,  procurou coibir abusos que encontrou em sua nova Diocese. Sua presença em Garanhuns foi toda dedicada à realização de seu lema: "Restaurar todas as coisas em Cristo" (Ef, 1,10).

A falta de testemunho de um de seus padres - Padre Hosana - fez o povo pedir providências a seu Bispo. Dom Expedito ouviu os reclamos e, como Bispo, seu zelo pastoral o levou a preocupar-se com o testemunho dos Sacerdotes, junto aos fieis. Depois de muitas advertências e prazos estabelecidos e "não cumpridos", Dom Expedito transferiu o referido padre.

Não sendo atendido, obedecido, viu-se forçado, após deliberação do vaticano, a "suspender de ordem" o sacerdote. Tal atitude lhe custou a vida.

No dia 01 de julho de 1957 - Festa do Preciosíssimo Sangue - inconformado com a suspenção da Igreja, Padre Hosana decidiu expressar, publicamente, seu desacordo com as decisões tomadas. Às 18 horas e 30 minutos, em sua residência, Dom Expedito foi alvejado com três tiros pelo mencionado padre.

Dom Expedito - Bispo Mártir - preferiu dar a sua  vida e derramar o seu sangue a ver o seu povo como ovelhas sem  Pastor, sem testemunho, sem a Palavra de Deus que sustentasse a sua fé.

Dom Expedito sabia aproximar-se do povo e inserir-se no meio dele sem pôr em questão sua  identidade religiosa. Era um grande modelo de  enculturação no meio do  povo pobre e simples.

Testemunhava também uma real austeridade de  vida.

Foi sempre o Bispo Modelar, um Prelado que sempre honrou a  Igreja de Cristo.

Com delicadeza de alma traçou as diretrizes de  seu governo e de sua pastoral, concorrendo para o crescimento das pessoas com sentimentos de nobreza de caráter e  fraternidade.

Em 28 de agosto de 1955, Dom Expedito condecora o bondoso Médico Dr. José Antônio Sales de Melo com a comenda "PRÓ ECCLESIA ET PONTÍFICIE", em reconhecimento pelo seu apoio de assistência diária as populações nas  áreas de Saúde, Higiene e  Puericultura e depois a  criação do Hospital Infantil Palmira Sales.

Fonte: Dom Francisco Expedito Lopes - Bispo Mártir de Garanhuns | Irmã Cândida Araújo Corrêa, Maria Mirtes de Araújo Corrêa e Terezinha Araújo Corrêa | Ano 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adelmo Arcoverde lança o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”

O professor pernambucano Adelmo Arcoverde lança, quinta-feira (26), às 16h, o livro “Viola do Nordeste – Da Cantoria A Viola Progressista”, ...