sábado, 14 de maio de 2022

História de Garanhuns

No dia 14 de Julho de 1979 o jornal 'O Monitor" publicava - "Aniversário de Alfredo Garibaldi" - Transcorreu à 12  deste (julho) a data natalícia do Sr. Alfredo Garibaldi Alves de Almeida (foto), um cidadão pobre, porém rico de grandeza moral, de fina educação.

Ele veio ao mundo nesta cidade, no ano de 1900. É viúvo da falecida Quitéria Francisca de Almeida.

De filhos seu Garibaldi tem 7 todos maiores, de nomes: Maria José, Irene, Iracema, Valdemar (Tôta), João, Walfrido e Arlindo. Netos e bisnetos tem grande quantidade.

O Sr. Alfredo Garibaldi, pequeno, escolheu a arte de sapateiro, desde 1913, sendo seu primeiro mestre o Sr. Antônio Bezerra de Vasconcelos.

Sempre viveu uma vida de pobre, mas conceituado nesta cidade por ricos e pobres, assim como toda a sua família. Dedicando-se a música teve como seu primeiro mestre o saudoso Chico Bombardão, no ano de 1922, data que iniciou como aprendiz. Hoje a banda de música aludida tem o nome de Manoel Rabelo, um dos grandes músicos desta terra.

O Garibaldi, irmão do saudoso João Garibaldi, outro músico de Garanhuns, tocou violão, trombone, prato, bombo,  bombardino. Tanto um como o outro são glórias desta cidade centenária. Por isso, este jornal faz esta homenagem merecida a "Seu  Alfredo".

No passado, sempre votou na UDN e nos dias atuais, é eleitor da ARENA, do prefeito Ivo Tinô do Amaral.

Nasceu Alfredo Garibaldi na rua Severiano Peixoto. Entretanto, a sua rua  querida, do seu coração é a Antonio Penante onde mora há 56 anos, sendo 25 anos, na sua atual residência.

Trabalhou  como músico, nas administrações municipais dos Srs., José de Almeida Filho, Luiz Brasil, Tomaz Maia, Euclides Dourado, Mário Lira, Celso Galvão, Cel. Francisco Figueira, Aloísio Souto Pinto (2 vezes), Amílcar da Mota Valença (2 vezes) e Dr. Luiz Souto Dourado. Lamento muito ter deixado de tocar, na atual administração do jovem prefeito Ivo Amaral.

Seus antigos mestres de música, foram entre outros: Francisco Bombardão, Francisco Ribeiro e  Silva (Xixi), Manoel Rabelo, Luiz Figueiredo (mestre Lula), Tenente Boanerges, Correntão e Luiz Figueiredo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Coração de Neon" é aclamado pela crítica em Cannes como o "novo cinema popular brasileiro"

A presença do filme “Coração de Neon” em Cannes, na França, pode estar abrindo uma nova fase do cinema brasileiro. A produção curitibana aca...