sexta-feira, 13 de maio de 2022

Mosteiro da Luz: arquitetura, urbanismo, força e religiosidade


Em 2019, após anos de trabalho e pesquisa, o Prof. Dr. Benedito Lima de Toledo, finalizava o livro Mosteiro da Luz, quando, infelizmente, veio a falecer. A obra, que tem o esmero do grande significado desse conjunto artístico e arquitetônico da cidade de São Paulo, evidencia o legado deste importante pesquisador em um livro póstumo e inédito, publicado pela KPMO Cultura e Arte.

Benedito Lima de Toledo foi arquiteto, urbanista, acadêmico da APL (Academia Paulista de Letras) – ocupou a cadeira de número 39 que fora de Monteiro Lobato –, Professor Titular de História da Arte e Arquitetura da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, exímio pesquisador e autor de importantes obras publicadas que nos revelam a história da cidade de São Paulo. Unindo-se ao arquiteto e diretor de arte Marcello de Oliveira, seu parceiro na edição de várias outras publicações desde os anos 1990, conseguiu imprimir textos inéditos e reveladores sobre a arquitetura e o urbanismo da cidade, sempre acompanhados por extensa pesquisa iconográfica e curadoria fotográfica primorosa. Suzana Alessio de Toledo, bibliotecária e esposa do professor Benedito, tem papel importante na materialização de sua obra, onde sempre pôde auxiliá-lo na pesquisa e execução de seu trabalho.

Não podia ser diferente, nas mãos de Benedito, um dos conjuntos arquitetônicos coloniais mais emblemáticos e bem preservados da cidade de São Paulo ganhou vida e virou livro. O autor, em sua narrativa, volta ao passado para resgatar os espaços simbólicos da cidade, utilizando-se da iconografia com imagens e registros de viajantes, pintores e fotógrafos que retrataram uma São Paulo de tempos passados. Passeia por largos e ruas, para então chegar ao edifício religioso, onde Frei Galvão, arquiteto e construtor, foi o grande artífice da edificação do Mosteiro. Em sua extensa pesquisa, o autor viaja à Lisboa para narrar, com encanto, a história da imagem de Nossa Senhora da Luz.

No texto, Benedito Lima de Toledo descreve como o convento passa de um lugar de “recolhimento de mulheres, devotas da Divina Providência, para orar continuamente diante do Santíssimo”, até seu fechamento inesperado e a reabertura que inspirou Frei Galvão a edificar uma nova construção, para dar vida ao Mosteiro da Luz que conhecemos hoje.  

O livro narra episódios como o fechamento do local e a clandestinidade de mulheres religiosas que se escondiam por lá para ficarem recolhidas, até que a ordem de fechamento fosse revogada. A partir do porta-voz das boas novas, Frei Galvão, se dedica a edificação do novo conjunto arquitetônico, erguido em taipa de pilão, técnica construtiva aplicada à época e que mantem-se preservada até os dias atuais.

Ao leitor são reveladas as belezas desse riquíssimo patrimônio histórico. O Museu de Arte Sacra de São Paulo ocupa parte do conjunto arquitetônico e abriga uma das mais importantes coleções de obras de arte sacra e religiosa brasileira. Uma grande surpresa ainda é reservada ao visitante: o Presépio Napolitano, também conhecido como o Museu do Presépio, guarda o acervo doado por Francisco Matarazzo Sobrinho.

A fotógrafa Maíra Acayba realizou um inédito ensaio fotográfico na área reservada às freiras que vivem em clausura, onde apenas as mulheres tem acesso.

Além de trazer com maestria toda a história do Mosteiro da Luz, Benedito nos mostra através de sua narrativa detalhes do cotidiano da cidade nesse período colonial, fato que torna ainda mais importante e necessário a preservação de nosso patrimônio e o legado aos paulistas e brasileiros.

Nesses mais de trinta anos de convivência profissional, somamos esforços em diversas ocasiões e desenhamos mais de uma dezena de publicações, muitas delas ainda inéditas. Um legado único de quem se dedicou à preservação da memória e do patrimônio artístico e arquitetônico da cidade de São Paulo. Do grande mestre Benedito Lima de Toledo temos a sua memória registrada em cuidadosos estudos que desenvolveu ao longo de sua atuação profissional como arquiteto, pesquisador e professor da FAU-USP. Tenho imensa satisfação de ter compartilhado com ele a elaboração desses cuidadosos trabalhos de edição dos livros que registram a história da arquitetura e do urbanismo da cidade de São Paulo. – Marcello de Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Secult-PE/Fundarpe divulga resultado final das propostas classificadas do FIG 2022

A Secult-PE e a Fundarpe divulgam o resultado final das propostas classificadas na análise de mérito artístico-cultural do 30º Festival de I...