quinta-feira, 12 de maio de 2022

Sorriso de criança


Maurilo Campos Matos

Tu que criaste o céu e os verdes campos

E emprestas luz aos simples pirilampos,

Tu que nutres com mel os colibris,

Dá-me, Senhor, um verso, um verso lindo

Que traduza este Amor que estou sentindo

Cintilar nestes rostos infantis.


E Deus que é Bondade respondeu:

- Não existem palavras - bem sei eu -

Que exprimam esta Amor com segurança.

Quando compus o poema do universo

Sintetizei o Amor no simples verso.

Que lerás num sorriso de criança.

Garanhuns, 15 de junho de 1965.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Secult-PE/Fundarpe divulga resultado final das propostas classificadas do FIG 2022

A Secult-PE e a Fundarpe divulgam o resultado final das propostas classificadas na análise de mérito artístico-cultural do 30º Festival de I...