terça-feira, 21 de junho de 2022

Mãe Beth de Oxum: a primeira ialorixá eleita Patrimônio Vivo de Pernambuco


Ialorixá, comunicadora, ativista, artista, mestra da cultura popular. Nascida na antiga maternidade da Praça do Carmo, em Olinda, Maria Elizabeth Santiago de Oliveira atua, há décadas, em várias frentes de luta. No dia 12 de agosto de 2021, Mãe Beth de Oxum, como é mais conhecida, teve essa atuação reconhecida ao ser anunciada como Patrimônio Vivo de Pernambuco.

“O sentimento é de que valeu a pena. Esse título representa um sopro de esperança neste país que é plural, mestiço, onde mais de 50% da população é negra e que não cabe numa caixa fundamentalista”, pontua Beth de Oxum. Há mais de 30 anos, ela está à frente do Ponto de Cultura Coco de Umbigada, no bairro de Guadalupe, em Olinda. O local também abriga o terreiro Ilê Axé Oxum Karê.

“Em um País onde ministros são escolhidos e empossados por serem ‘terrivelmente evangélicos’, Pernambuco reconhecer, pela primeira vez, uma ialorixá, uma mulher negra, afrodescendente, como Patrimônio Vivo é um sopro de esperança”, ressalta.

Clique aqui e confira a matéria na íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

30º FIG homenageia Ivo Amaral e Marcílio Reinaux

Blog do Carlos Eugênio Garanhuns vive a expectativa do lançamento da programação oficial do 30º Festival de Inverno. Neste ano, a Festividad...