segunda-feira, 25 de julho de 2022

O que ocorre


João Marques | Garanhuns

Estou pensando na maravilhosa vida que está aqui! Está em mim, tão viva e efetiva  que a sinto inteira, com seu corpo fluido. Na verdade, não é bem assim... a vida é que me possui o corpo. É tão implícita, a vida, que a assinto como se dela esteja saindo. E, filosoficamente falando, sou uma projeção de mim mesmo. Bom! mas o que queria dizer é que, hoje, passei o dia sentindo-me atrás, há uns 70 anos... A atmosfera de antes, a sensação de existir, a disposição de ser... como se, de repente, houvesse remoçado. A alma, o espírito, o que sou, na identificação do eu. É claro que estive jovem, hoje, de uma juventude oculta do rosto envelhecido. É noite, e sinto, ainda, continuo sentindo-me o que fui. Certamente, tudo isso está acontecendo em minha consciência, que se inteira pouco a pouco que a vida espiritual não conta tempo. É uma experiência a mais, que conquisto hoje, e a reparto com quem me lê. E desejo a todos um bom entendimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O alfaiate de Garanhuns

João Marques* Luiz Gonzaga cantava uma música que dizia "Sou alfaiate do primeiro ano / Pego na tesoura e vou cortando o pano". Is...